Seminário de Desenvolvimento Econômico: programa Inova Palhoça muda eixo de desenvolvimento do município

por Tatiane Souza última modificação 18/11/2019 14h50
12/11/2019 – O case Boas práticas de inovação em âmbito municipal apresentado por Anna Paula Heiderscheidt, secretária Municipal de Desenvolvimento Econômico de Palhoça, Santa Catarina, fez parte do primeiro dia de programação do 2º Seminário de Desenvolvimento Econômico de Novo Hamburgo. No painel, realizado na tarde desta terça-feira, 12, Anna compartilhou os resultados obtidos com o Inova Palhoça – Programa Municipal de Desenvolvimento Econômico pela Inovação.
 Seminário de Desenvolvimento Econômico: programa Inova Palhoça muda eixo de desenvolvimento do município

Foto: Kassiane Michel/CMNH

A secretaria frisou que o objetivo do programa é mudar o eixo de desenvolvimento do município, agregando valor a sua pauta econômica, além de permitir um desenvolvimento orgânico sustentável, gerando mais e melhores oportunidades de emprego e renda para a população. Traçando um diagnostico econômico de Palhoça, apontou que a cidade ocupa o 12º lugar no ranking do PIB, possui uma população estimada em 171 mil habitantes, é a segunda no ranking de crescimento econômico do Estado de Santa Catarina e possui como principal atividade econômica o comércio. 

Por que investir e falar sobre inovação? 

Anna fez um breve resgate histórico e lembrou que em 2002 de 10 pessoas que moravam no Município, somente três pagavam o Imposto Predial e Territorial Urbano (Iptu). Segundo ela, Palhoça era considerada uma cidade-dormitório – as pessoas moravam ali, mas trabalhavam em Florianópolis. Ela explicou que a gestão 2002/2003 tinha uma visão do desenvolvimento econômico para mudar esse perfil. “Pensavam que era preciso atrair mais empresas. E então, em 2006, foi criado o Programa de Fomento Econômico e de Incentivos Fiscais para Empresas do Município de Palhoça (Prodep). Em 2010, foi lançado o Instituto de Tecnologia e Inovação e começou-se a pensar em um Parque Tecnológico no bairro de Pedra Branca – bairro sustentável, berço da inovação e da tecnologia em Palhoça. Em 2015, veio o Inova Palhoça. E em 2018/2019, continua-se trabalhando com inovação, tecnologia e a desburocratização do nosso município”, contou. Segundo ela, atualmente, uma empresa consegue se instalar em Palhoça em no máximo cinco dias, tempo para expedir todos os alvarás. 

A secretária relatou que foi preciso uma mudança no eixo econômico do Município, e ancorá-lo em quatro pilares fundamentais: financiamento, incentivos econômicos, atração de investimentos e formação empreendedora. Essa é a base, segundo ela, para atrair investidores. Dentre os programas criados para a Nova Palhoça, destacou o nota fiscal eletrônica palhocense. Em suma, para concorrer a prêmios ou ter desconto no IPTU, o cidadão precisa pedir o CPF na nota fiscal de qualquer serviço prestado dentro do município. 

Anna falou sobre o Fundo Contábil, que entrará em ação a partir do lançamento do edital em final de novembro deste ano. “É um fundo de equalização de juros para empresas que querem investir em tecnologia. A prefeitura fornece o valor para esses pequenos empreendedores para que eles possam montar o seu negócio”, explicou. Ela também destacou o Fundo de Subvenção Econômica, que igualmente será lançado em 21 de novembro. “Abrangerá as pessoas físicas que tenham alguma ideia ou projeto dentro de áreas como iluminação e segurança pública, saúde ou até mesmo no turismo. Será um fundo regido pela Prefeitura em parceria com as universidades, principalmente a Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), que também está localizada no bairro de Pedra Branca. Por fim, ela falou sobre o Fundo Municipal de Aval, destinado a empresas. Dentro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, segundo a painelista, também é fornecida capacitação para empresários em parceria com o Sebrae.

O objetivo é criar, segundo ela, além da legislação, todo o ambiente para que o cidadão tenha estímulo para inovação, empreendedorismo e também uma boa qualidade de vida. Por fim, ressaltou que nos anos de 2018 e 2019, estão trabalhando questões como a desburocratização e o conceito de cidade inteligente. Ela ainda destacou que o Parque Tecnológico de Palhoça é um dos mais modernos de Santa Catarina e com o melhor custo-benefício. “Florianópolis tem o maior parque tecnológico do Estado, mas o custo para se montar uma empresa é muito alto”, destacou. 

Conheça melhor o Inova Palhoça.

Saiba mais 

Seminário de Desenvolvimento Econômico: Comitê Avança Novo Hamburgo foi criado para fomentar o empreendedorismo

Novos impactos, desafios e oportunidades abrem 2º Seminário de Desenvolvimento Econômico

Segunda edição do Seminário de Desenvolvimento Econômico debaterá tecnologia e inovação nos dias 12 e 13

Oficinas gratuitas sobre exportação, cervejarias artesanais e tecnologia marcam seminário de desenvolvimento econômico


As inscrições são gratuitas e podem ser formalizadas pelo link bit.ly/FormulariodoSeminario.

Confira a programação completa:

Clique aqui para ver o PDF na íntegra

Veja fotos das reuniões preparatórias para o Seminário:

Seminário Desenvolvimento Econômico de Novo Hamburgo