Livro com as 90 melhores redações do Prêmio Leopoldo Petry é entregue para escolas de Novo Hamburgo

por Tatiane Souza última modificação 29/10/2021 13h35
16/08/2021 - Com o título "O que você faria para melhorar a nossa cidade?", o livro que resultou da 1ª edição do Prêmio Leopoldo Petry de Literatura, promovido pela Câmara Municipal, por meio da Escola do Legislativo, está sendo entregue para as instituições de ensino de Novo Hamburgo. Em razão da pandemia de coronavírus e da interrupção das aulas presenciais, o vereador Felipe Kuhn Braun (PP), idealizador da premiação, realizou na última sexta-feira, 13, a entrega simbólica da publicação nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental Monteiro Lobato e Darcy Borges de Castilhos.
Livro com as 90 melhores redações do Prêmio Leopoldo Petry é entregue para escolas de Novo Hamburgo

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

O texto vencedor do 1º Prêmio Leopoldo Petry foi da aluna Yasmim Mello Becker, da EMEF Bento Gonçalves, de Lomba Grande, com o título Três amigos, um sonho. Nesta edição, a premiação foi concedida às melhores poesias, narrativas e redações argumentativas elaboradas por alunos do 4º ao 9º ano do ensino fundamental de escolas públicas, privadas e filantrópicas do município. O Legislativo recebeu mais de 300 inscrições.

Queremos valorizar nos estudantes a escrita, a leitura, a educação e a cultura, transformando nossos jovens alunos em escritores mirins. Tendo o apoio dos pais, dos professores, da secretaria municipal de educação e, principalmente, da Câmara, por meio da Escola do Legislativo, a leitura e a escrita se materializaram num livro dos alunos para os alunos. Cria-se uma importante forma de transformar o meio social, de questionar e criticar construtivamente, de preservar histórias e abordar temas relevantes para a nossa cidade”, destacou Felipe, que além de parlamentar também é jornalista e escritor. 

Luisa Cristina de Bastiani Camacho, diretora da Darcy Borges de Castilhos, teve seis de seus alunos premiados. “Ficamos muito felizes com o retorno deste projeto. A concretização de um trabalho com os estudantes, o pensar sobre a cidade, a valorização da cultura e da literatura. Eles se esforçaram e, agora, terão a lembrança se ver os seus textos publicados em um livro, e isso não sairá da memória deles, da escola e da comunidade do bairro”, apontou a educadora. Coordenadora pedagógica da escola, Luciana Haefliger ressaltou que a premiação é um incentivo para que novos estudantes tenham esse desejo pela literatura e pela escrita, o que vem ao encontro da filosofia da escola. “A premiação contribui significativamente para todas as aprendizagens. E é uma forma da comunidade ver e valorizar este saber que é construído dentro da escola”, completou. 

A diretora da Monteiro Lobato, Maria Raquel Dias Finatto, também falou da alegria de estar recebendo os livros em sua biblioteca. “Em uma época que falamos tanto em protagonismo dos nossos estudantes, é importante ver isso concretizado em uma obra. Os alunos durante a pandemia ficaram afastados dos livros e da escola e com alegria estamos retornando a esse convívio. A Monteiro sempre valorizou muito a leitura. Estamos implementando um projeto no qual toda a escola vai parar para ler. Será um momento especial para também divulgar este trabalho”, afirmou. 

Luisa Camacho também valorizou esse momento de retorno às aulas e entrega da premiação. “É momento de incentivar e proporcionar que as crianças sejam valorizadas pelo estudo e pelo intelectual. Hoje, muitas vezes quem é famoso é quem dança, joga futebol, os youtubers e quem ganha mais curtidas. Por que não transformar estas curtidas em algo que possa beneficiar o futuro das crianças e mudar a sua história? Com certeza esse livro vai ajudá-las a sonhar mais do que são. Sou uma defensora da educação, especialmente da pública”, salientou a educadora.

O vereador Felipe Kuhn Braun destacou que o livro já está pronto há bastante tempo. "Agora, é momento das escolas, alunos e bibliotecas terem acesso a essas histórias”, finalizou.

Acesse a versão virtual do Livro.

Categorias do prêmio 

O Prêmio Leopoldo Petry é dividido em três categorias: categoria 1, do 4º ao 5º ano, na qual os candidatos escreveram um poema de 12 a 15 versos; categoria 2, do 6º ao 7º ano, com a inscrição de textos narrativos de 20 a 30 linhas; e categoria 3, do 8º ao 9º ano, com a entrega de redações argumentativas de 30 a 40 linhas. 

Formada por Ricardo Maus Affonso, da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE); Rosângela Thiesen Horn, membro do Conselho Municipal de Educação; Joseane Matias, assessora da Secretaria Municipal de Educação (Smed); e Renate Gigel, presidente da Academia Literária do Vale do Rio dos Sinos (Alvales), a comissão julgadora encerrou as avaliações no mês de maio. As escolas trabalharam até o final do mês de agosto de 2019 na identificação dos autores dos textos selecionados. 

O livro, que será editado pela Gerência de Comunicação da Casa, teve tiragem de mil unidades, conforme determina a Resolução nº 4/2018

Leopoldo Petry

O prêmio homenageia em seu nome o primeiro prefeito eleito de Novo Hamburgo, que, além da vida política, também atuou como escritor, jornalista, professor, diretor de escola, funcionário público e historiador. A organização do concurso literário é de responsabilidade da Escola do Legislativo. 

Confira o regulamento. 

Leia também: 

Definidos os vencedores do prêmio de literatura Leopoldo Petry

Comissão julgadora do Prêmio Leopoldo Petry analisa critérios de seleção das redações 

Prazo para o Prêmio Leopoldo Petry será estendido até o dia 30 

Comissão julgadora do Prêmio Leopoldo Petry analisa critérios de seleção das redações 

Rede municipal de ensino vai receber 1ª edição do Prêmio Leopoldo Petry de Literatura 

Câmara promoverá Prêmio Leopoldo Petry de Literatura