Novo Hamburgo reelege Fátima Daudt e renova seis cadeiras na Câmara de Vereadores

por Luís Francisco Caselani última modificação 16/11/2020 19h37
16/11/2020 – O aniversário da Proclamação da República foi marcado por eleições municipais em todo o Brasil. Em Novo Hamburgo, mais de 126 mil pessoas foram às urnas. Primeira mulher eleita para chefiar o Executivo na cidade, Fátima Daudt (PSDB) conquistou 45,33% dos votos válidos e repetiu o feito de 2016. A coligação liderada pela tucana também arrebatou dez das 14 cadeiras da Câmara. O destaque na corrida pelo Legislativo, no entanto, ficou para uma das quatro vagas restantes. Felipe Kuhn Braun (PP) obteve 4.041 votos e ponteou a disputa. Caberá ao vereador, que já presidiu o Parlamento em 2018, comandar a solenidade de posse dos 14 integrantes da Câmara e da prefeita Fátima Daudt no próximo dia 1º de janeiro.
Novo Hamburgo reelege Fátima Daudt e renova seis cadeiras na Câmara de Vereadores

Foto: Thanise Melo/Arquivo CMNH

No comparativo com a atual legislatura, seis caras novas serão vistas no Plenário Luiz Oswaldo Bender. Ito Luciano (PTB) e Ricardo Ritter, o Ica (PSDB), reassumem mandato após oito anos. Lurdes Valim (Republicanos) e Raizer Ferreira (PSDB), suplentes no último quadriênio, conquistaram a titularidade. Já Darlan Oliveira (PDT) e Gustavo Finck (PP) ocuparão as bancadas da Câmara pela primeira vez.

Saídas e permanências

Dos 14 vereadores que iniciaram a atual legislatura, seis conseguiram a reeleição. Além de Felipe Kuhn Braun, retornam a partir de janeiro os parlamentares Enio Brizola (PT), Fernando Lourenço (PDT), Gerson Peteffi (MDB), Sergio Hanich (MDB) e Vladi Lourenço (PSDB). Naasom Luciano (PTB) – que viu a eleição de seu pai, Ito – e Raul Cassel (MDB) decidiram não concorrer. Issur Koch (PP) deixou a vereança ainda em 2019 para assumir o cargo de deputado estadual. Patricia Beck (PP) lançou candidatura para prefeita, ficando na terceira colocação. Já Enfermeiro Vilmar (PSL), que perdeu o mandato em junho deste ano por quebra de decoro, teve sua candidatura indeferida.

Gabriel Chassot (PSDB), Inspetor Luz (MDB) e Nor Boeno (PTB) ficaram na suplência de suas legendas. O mesmo ocorreu com Rafael Lucas (PDT), que ocupa o cargo de vereador após a saída de Vilmar. A substituta de Issur, Tita (PSDB), teve melhor sorte e conseguiu sua primeira eleição como titular. Cristiano Coller (PTB), que exerceu o mandato entre 2018 e 2020 na vaga de Naasom Luciano, licenciado para comandar a Secretaria Municipal de Saúde, também se elegeu.

Eleição majoritária

Dos 177.990 eleitores hamburguenses, 126.445 compareceram às urnas. O número de abstenções (51.545, ou 28,96%) foi ligeiramente superior ao de votos recebidos pela prefeita eleita. A chapa formada por Fátima Daudt e o vice Márcio Lüders (MDB) conquistou 51.467 votos, quase o dobro do segundo colocado, Delegado Zucco (Republicanos), que somou 26.095. Patricia Beck ficou em terceiro, com 21.242 votos, e Tarcísio Zimmermann em quarto, com 14.693. Felipe Müller (PTC), que desistiu da candidatura antes do pleito, recebeu 45 votos.

Além da vitória na eleição majoritária, o PSDB também comporá a maior bancada da Câmara, com quatro vereadores. MDB, PDT, PP e PTB terão dois representantes cada. As outras duas cadeiras ficam com PT e Republicanos. O Executivo também deve iniciar a próxima legislatura com maioria na Câmara. Além dos quatro vereadores tucanos e dos dois emedebistas, PDT e PTB apoiaram a candidatura eleita.

A 18ª Legislatura de Novo Hamburgo (2021-2024):

- Felipe Kuhn Braun (PP): 4.041 votos

- Fernando Lourenço (PDT): 2.695 votos

- Raizer Ferreira (PSDB): 2.646 votos

- Ito Luciano (PTB): 2.642 votos

- Sergio Hanich (MDB): 2.517 votos

- Cristiano Coller (PTB): 2.408 votos

- Darlan Oliveira (PDT): 2.238 votos

- Gerson Peteffi (MDB): 2.165 votos

- Vladi Lourenço (PSDB): 2.095 votos

- Ricardo Ritter, o Ica (PSDB): 1.811 votos

- Lurdes Valim (Republicanos): 1.671 votos

- Enio Brizola (PT): 1.628 votos

- Tita (PSDB): 1.578 votos

- Gustavo Finck (PP): 1.403 votos