TV Câmara - Situação do Município em relação às doenças transmitidas pelo aedes é tema do Vitalidade

por Tatiane Souza última modificação 24/06/2019 16h26
24/06/2019 - A Secretaria Estadual de Saúde registrou até o dia 1º de junho, último boletim divulgado pelo órgão, 2.698 casos suspeitos de dengue. Foram confirmados 903 casos, sendo 806 autóctones (natural do município onde ocorre). Novo Hamburgo está nesta lista. O mosquito aedes aegypti é o responsável pela transmissão da dengue, mas também de outras doenças como Zika, Chikungunya, Febre Amarela e Mayaro. A responsável pelo Departamento de Vigilância Ambiental em Saúde de Novo Hamburgo, Julyana Sthéfanie de Matos, participou do programa Vitalidade, da TV Câmara, canal 16 da NET, e falou sobre o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), um estudo que mapeia o grau de infestação pelo mosquito. Ela também informou as ações de controle para evitar a proliferação do inseto. Na cidade, os bairros mais infestados são Operário, Pátria Nova e Primavera.
TV Câmara - Situação do Município em relação às doenças transmitidas pelo aedes é tema do Vitalidade

Foto: Kassiane Michel/CMNH

Julyana enfatizou a importância do Convênio de Prevenção e Combate à Dengue, parceria entre a Prefeitura e a Universidade Feevale e das ações realizadas pelo grupo. Ela explicou que o LIRAa fez um mapeamento da cidade, com o intuito de mensurar e compreender a evolução dos índices de infestação do mosquito, bem como ter conhecimento do atual risco de surto das doenças transmitidas por este agente. Segundo o estudo, “estar munido da informação quantitativa de imóveis com presença do vetor da dengue, zika e chikungunya é fundamental para a tomada de decisão e delineamento das estratégias de contenção e controle da proliferação do mosquito, principalmente porque o estado do Rio Grande do Sul vem apresentando um aumento brusco dos casos de dengue, que já somam 903 casos, além dos seis casos de febre chikungunya e um caso de zika”. 

Através do mapeamento é possível identificar os criadouros predominantes, o que auxilia no direcionamento de ações de controle para as áreas mais críticas. Julyana explicou que a dinâmica do trabalho consiste na divisão do município por estratos, que são grupos de 9 mil a 12 mil imóveis com características semelhantes, principalmente territorialmente. Em cada grupo são pesquisados aproximadamente 450 imóveis, sendo que no município de Novo Hamburgo utilizam-se oito faixas. O número de imóveis visitados representa aproximadamente 5% do total do município, amostrados em todos os bairros. “É como se fosse uma fotografia da cidade. E nos permite trabalhar em ações para evitar um surto ou uma epidemia dessas doenças”, disse. Ela revelou, ainda, que os bairros com maiores índices de infestação predial são Pátria Nova, Primavera e Operário, com números superiores a 10%, enquanto em outros bairros, a infestação é de 7,2%. “Existem muitas coleções líquidas dentro dos imóveis, pequenos depósitos, tampinhas de garrafa, pratinhos de plantas, resíduos sólidos com acúmulo de líquido. E elas estão crescendo”, preocupa-se Julyana. Ela ressaltou que no momento em que as equipes visitam as residências, além de fiscalizar, já fazem uma explicação no sentido de conscientizar a população sobre a importância de eliminar os criadouros.

 As doenças 

A entrevistada também falou durante o Vitalidade – que está no ar pela TV Câmara, canal 16 da NET, na página da TV Câmara no Facebook e no canal da TV Câmara no Youtube – sobre os principais sintomas de cada doença e algumas complicações deixadas por elas, principalmente pela febre chikungunya, como problemas nas articulações, e Zika, mães infectadas que dão à luz a filhos com complicações como microcefalia e surdez. Como os sintomas se assemelham, ela destacou alguns pontos, conforme o quadro abaixo.

 

Julyana divulgou a realização de outro estudo importante afirmando que a presença da bactéria Wolbachia em Aedes aegypti tem a capacidade de reduzir a transmissão das doenças. Durante o programa, ela nos conta como isso é possível e a importância do controle biológico do vetor. Ela também destaca medidas que podem evitar as picadas de mosquito, como o uso de telas protetoras em portas e janelas e de repelentes.

Confira o programa na íntegra

Vitalidade

O Vitalidade é um programa sobre saúde, bem-estar, comportamento e qualidade de vida que vai ao ar pela TV Câmara, canal 16 da Net. Ele é apresentado pela jornalista Tatiane Lopes desde 2012. Sugestões de pauta podem ser enviadas para o e-mail tv@camaranh.rs.gov.br.

Veja a lista completa dos programas

registrado em: