TV Câmara – Integrantes da Rede Lilás falam sobre mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher

por Daniele Silva última modificação 27/08/2021 10h21
27/08/2021 - Sancionada em 2006, a Lei Maria da Penha completou 15 anos no último dia 7 de agosto. Apesar de ser um marco em defesa das mulheres, não houve redução nos casos de agressões e feminicídios. De acordo com o Mapa dos Feminicídios do RS, apresentado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, em 2020, 79 mulheres foram assassinadas. A maioria por atuais ou ex-parceiros. Em 2021, até o final de julho já foram contabilizados 58 casos. Para falar sobre o Agosto Lilás, mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher, e sobre o trabalho desenvolvido em Novo Hamburgo no acolhimento das vítimas o Espaço Livre traz um conversa com a coordenadora do Creas Viva Mulher, Elis Regina Evaldt, e a responsável pelo Núcleo de Apoio aos Direitos da Mulher (Nadim) da Universidade Feevale, Lisiana Carraro.
TV Câmara – Integrantes da Rede Lilás falam sobre mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher

Foto: Viccenzo Zang/CMNH

“A cada minuto oito mulheres sofrem violência doméstica no país. Nós percebemos, com esses números, que precisamos atuar ainda mais para fazer com que essas mulheres consigam romper esse ciclo de violência”, aponta Lisiana. A advogada destaca que a informação é a melhor arma, para que elas possam se apropriar e fazer valer seus direitos.

Psicóloga do Município, Elis Regina explica que há uma série de questões para que as vítimas não busquem ajuda, como dependência emocional e financeira. “Precisamos apontar os riscos desse relacionamento e orientá-las de que uma situação de agressões físicas e psicológicas pode terminar em feminicídio.” Sobre a Maria da Penha, ela garante que houve sim muitos avanços. Dentre eles, a ampliação das políticas públicas de acolhimento.

As profissionais destacam o trabalho realizado na cidade e a importância da atuação em rede. Em Novo Hamburgo, a Rede Lilás reúne uma série de entidades que atuam em prol das vítimas de violência de gênero.  Entre os integrantes estão a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Brigada Militar, Patrulha Maria da Penha, Centro de Referência e Atendimento Creas/Viva Mulher, Nadim e Laços de Vida, ambos da Universidade Feevale, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres (CMulher), Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (Comdim) e dos Direitos e Cidadania do Idoso (CMDCI), Comissões da Mulher e da Criança e Adolescente da OAB/NH, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e coletivos.

A Rede Lilás pode ser contatada pelo WhatsApp 3594-0560 ou pelo Instagram @rede_lilas. Denúncias anônimas também podem ser feitas pelo Ligue 180.

Assista à entrevista completa:

 

registrado em: