Secretaria de Obras defende serviços realizados em Lomba Grande

por Luís Francisco Caselani última modificação 20/05/2019 22h39
20/05/2019 – Atendendo a convocação do vereador Enfermeiro Vilmar (PDT), o secretário municipal de Obras Públicas, Serviços Urbanos e Viários, Raizer Ferreira, e o subsecretário de Obras de Lomba Grande, Volmar Affonso, participaram da sessão da Câmara desta segunda-feira, 20 de maio, para responder sobre as condições de trafegabilidade das estradas rurais de Novo Hamburgo. A posição do Executivo foi solicitada após reiteradas queixas de moradores de diferentes regiões do maior bairro da cidade.
Secretaria de Obras defende serviços realizados em Lomba Grande

Foto: Jaime Freitas/CMNH

Raizer Ferreira apresentou melhorias recentes feitas pela secretaria em diferentes estradas e destacou que o Município tem sofrido com restrições orçamentários e recursos federais aprovados, mas ainda não aportados. “Há cerca de 60 dias, a Câmara aprovou empréstimo com o Banco do Brasil para melhorias na malha viária, para recapeamento. Contemplaremos várias ruas que nunca tiveram sua infraestrutura realizada. Vai mais alguns dias até entregarmos os projetos para a instituição financeira. Hoje, fazemos o serviço e logo a primeira chuva leva tudo abaixo. Todas as ruas que não têm calçamento sofrem degradação com a chuva. Ter as valetas bem limpas já auxilia na manutenção das vias”, explicou o secretário.

Volmar Affonso, mais conhecido com Gringo, lamentou a herança recebida pelo governo anterior e enalteceu a intensidade dos trabalhos realizados no bairro. “Estamos trabalhando bastante. Temos mais de 4 mil fotos registrando demandas que estamos efetuando. Os vídeos (apresentados por Enfermeiro Vilmar antes da fala dos convidados) foram abaixo de temporal. As situações foram consertadas logo depois. Conseguimos fazer somente uma estrada por vez. Temos como prioridade as vias por onde passam ônibus e caminhões. Sofremos também porque, nos quatro anos anteriores, não foi feito nada. Agora estamos conseguindo dar a volta nessa situação”, garantiu.

Enfermeiro Vilmar disse ser uma atitude simplista culpar administrações passadas e frisou tanto o dever do vereador de fiscalizar quanto o direito da comunidade de cobrar o retorno de seus impostos. Patricia Beck (PPS) reconheceu o esforço empreendido pela subsecretaria e salientou que ninguém faz milagre com escassez de recursos e equipamentos. Ela levantou questões sobre o maquinário da Prefeitura. “O Município conta com três patrolas, sendo que uma não funciona desde que assumimos. Está continuamente voltando para revisão, já que ainda está em garantia. Ela não chega a trabalhar uma semana inteira. Das outras duas, uma fica em Lomba Grande”, detalhou Raizer. Além da patrola, o bairro ainda é assistido por retroescavadeira, trator para podas e dois caminhões para recolhimento.

Patricia perguntou por que a Prefeitura não trata de adquirir novos equipamentos, se os atuais estão sucateados. Raizer argumentou que o custo é muito alto, sendo optado pela contratação de horas-máquina. “Minha sugestão é que se comece fazer um estudo para a aquisição de maquinário e servidores que possibilitem um atendimento contínuo para o bairro”, indicou a vereadora.

Enio Brizola (PT) rebateu as acusações sobre a herança elencando melhorias realizadas no bairro durante os anos anteriores à atual gestão, bem como as captações de recursos. “Todos os governos enfrentaram muitas dificuldades com Lomba Grande. Mas quero sugerir aqui o estudo da retenção de água nas propriedades. Fiquei impactado com os volumes mostrados nos vídeos. Precisamos abrir discussão com técnicos na área de drenagem rural”, sugeriu.

O líder de governo, Sergio Hanich (MDB), endossou o pensamento adotado pela Prefeitura de privilegiar a contratação de maquinários junto a empresas terceirizadas. “O que precisamos ter é registro de preços para horas emergenciais”, emendou. O presidente da Câmara, Raul Cassel (MDB), perguntou sobre a procedência de denúncias sobre maquinários que teriam sido utilizados em propriedades privadas e nunca mais retornaram. “Não tenho conhecimento sobre maquinários. Existiam tratores que prestavam serviço para a comunidade e foi verificada a ausência posterior de vários implementos agrícolas. Não havia relatório do destinatário à época, ao contrário do que fazemos hoje”, respondeu Gringo.

Cassel indagou ainda se existe um pensamento maior voltado para a Prainha de Lomba Grande. “É um espaço bonito da cidade. Acho que pode ser um ponto turístico de Novo Hamburgo”, ponderou. Raizer Ferreira explicou que a potencialização turística do município fica a cargo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. No entanto, ele garantiu que se reunirá com funcionários da pasta e dará retorno sobre a situação ao vereador. “De qualquer forma, colocamos a Secretaria de Obras à disposição para realizarmos trabalhos necessários”, finalizou.


Pavimentação

Antes da apresentação do secretário, o espaço de fala foi utilizado pelo cidadão Rodrigo Vieira, também a pedido de Enfermeiro Vilmar. Morador de Lomba Grande, ele relatou os recorrentes problemas enfrentados na manutenção da rua Albino Germano Roth, onde fica sua residência. Conforme Vieira, os serviços de patrolamento realizados pela subsecretaria e as colocações de brita financiadas pelos próprios moradores não têm sido suficientes. “Minha rua é uma situação pela qual batalhamos há bastante tempo. Precisamos que seja feita a pavimentação. Os bueiros do final da rua estão todos entupidos há pelo menos dois anos”, alertou. Ele disse ainda que os proprietários de imóveis no entorno se disporiam a pagar pelos blocos de concreto. Os representantes da Prefeitura prometeram atenção à demanda.

registrado em: