Rede Lilás estuda repassar experiências de serviços e acolhimento para cidades vizinhas

por Maíra Kiefer última modificação 09/07/2021 19h28
09/07/2021 – A Rede Integrada Laço Lilás planeja estender a outras cidades o conhecimento adquirido no combate à violência doméstica e de gênero em Novo Hamburgo. A medida mostrou-se necessária, segundo algumas integrantes, pela procura aos serviços do grupo hamburguense por mulheres de localidades vizinhas. A ideia é marcar uma reunião online com representantes da área de Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Ivoti e São Leopoldo. Essa proposta foi uma das questões abordadas pela rede em encontro híbrido realizado na última quarta-feira, 7, na sede do Legislativo de Novo Hamburgo.
Rede Lilás estuda repassar experiências de serviços e acolhimento para cidades vizinhas

Crédito: Carolyne Andersson

Tanto Elis Regina, do Creas/Viva Mulher, quanto Roberta Cornely, da Secretaria de Cultura, reforçaram a necessidade de verificação dos atendimentos oferecidos pelos municípios próximos para ser possível auxiliá-los. Além das duas integrantes, acompanharam presencialmente as definições para o segundo semestre Carolyne Andersson, da Procuradoria da Mulher; Claudete Schneider, do Projeto Conexão Luterana Primavera; Roberta Frank, da Secretaria de Saúde; e as vereadoras Tita (PSDB), da Procuradoria da Mulher, e Lourdes Valim (Republicanos). De modo virtual, participaram Eduarda Milena, do Coletivo Feminista Elza Soares; e Mara Peruffo, da Comissão da Mulher e da Criança e Adolescente da Subseção (OAB/NH).

Outro ponto tratado pelas componentes da Rede Lilás foi a revisão da composição do grupo, assim como o detalhamento dos projetos que estão sendo desenvolvidos no âmbito da mulher. A ideia é complementar essas informações nas redes sociais e futuros materiais informativos. Serão definidos protocolos de atendimento para diversas situações, assim como o direcionamento adequado nas solicitações de medidas protetivas e atendimentos jurídico e psicológico.

Também entraram em pauta mecanismos de conscientização e controle de casos de machismo e assédio no ambiente de trabalho, além de estratégias de fortalecimento das vítimas. A professora Ronalisa Torman mencionou a oferta dos serviços de psicologia disponíveis por meio do Projeto de Extensão Laços de Vida, da Feevale, e da Clínica Escola também da Universidade.

Aulas de Defesa Pessoal

Uma iniciativa pioneira no Brasil, que iniciou exatamente há um mês, ajudará também as próprias representantes da Rede. O Projeto Elas por Elas, para munir mulheres com técnicas de defesa pessoal, proposta da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Novo Hamburgo (Deam), será estendido àquelas que auxiliam as cidadãs a enfrentar a violência de gênero. As aulas para as integrantes da Rede começarão no dia 21 no Teatro Municipal. Informações sobre as capacitações podem ser obtidas por meio do WhatsApp da Rede Lilás (51 3594-0560) para futuros treinamentos. 

Rede Lilás

Desde 2017, os encontros presenciais da Rede Integrada Laço Lilás eram promovidos na sede Legislativo. Em virtude da pandemia, em 2020, o grupo passou a definir as estratégias para o ano em reuniões virtuais, organizadas pela Procuradoria Especial da Mulher. Entre os integrantes estão a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Brigada Militar, Patrulha Maria da Penha, Centro de Referência e Atendimento Creas/Viva Mulher, Núcleo de Apoio aos Direitos da Mulher (Nadim) e Laços de Vida, ambos da Universidade Feevale, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres (CMulher), Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (Comdim) e dos Direitos e Cidadania do Idoso (CMDCI), Comissões da Mulher e da Criança e Adolescente da OAB/NH, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e coletivos.

registrado em: