Projeto para instalação da Sala das Margaridas ainda necessita de algumas parcerias

por Maíra Kiefer última modificação 16/07/2020 18h06
16/07/2020 – Durante o mês de julho, novos parceiros aderiram ao projeto de implantação da Sala das Margaridas, voltada a mulheres em situação de violência que precisam registrar ocorrência policial. O apoio de empresários e de pessoas da região deve garantir a inauguração do espaço na sede da Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA), em Novo Hamburgo, já no começo do segundo semestre. Contudo, ainda é necessário apoio para aquisição de alguns itens.

Conforme levantamento da Procuradoria Especial da Mulher, faltam poltronas e cortinas. As tintas foram doadas por Irineu Dutra, da Pontintas, e a pintura realizada voluntariamente por Gustavo Andersson, da Alecrim Espaço Gourmet, de Capão da Canoa.O projeto arquitetônico foi assinado pela profissional Simone Carvalho, que abriu mão dos honorários e destinou também nichos e uma mesa para o local. A execução do serviço de marcenaria ficou a cargo da Enzweiler Móveis, de propriedade de Fernando Enzweiler. Na semana passada, a empresa Big Informática entregou ao delegado Delegado Tarcísio Kaltbach, responsável pela DPPA, e para a delegada titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), Raquel Peixoto, um computador para ser utilizado nos atendimentos. O momento foi acompanhado pela advogada Ligia Beatriz Galaschi, representante da Comissão da Criança e do Adolescente da OAB/NH e participante da Rede Integrada Laço Lilás. Sem custos também foram instaladas divisórias por iniciativa do empresário Valdir Rangel Machado, da Divisinos, no começo do mês.

Para quem quiser se voluntariar ou ceder algum item necessário, o contato pode ser feito no email procuradoriadamulher@camaranh.rs.gov.br ou por mensagem no Instagram @rede_lilas.

Sala das Margaridas

O espaço deve estar disponível justamente em um momento em que as estatísticas apontam um aumento da violência contra a mulher em virtude do confinamento. Além de ter a possibilidade de fazer o registro da ocorrência com mais privacidade, as mulheres poderão solicitar medidas protetivas de urgência, participar de oitivas e realizar encaminhamentos previstos na Lei Maria da Penha. A ideia de implantar esse local humanizado faz parte dos planos de diversas entidades e organizações há um bom tempo. Ela tomou forma no começo deste ano após a aproximação da Rede Integrada Laço Lilás, Executivo e Polícia Civil. Vários encontros e visitas à delegacia vêm ocorrendo ao longo dos últimos meses. A demanda era antiga pelo fato de a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) não funcionar 24h.

Rede Integrada Laço Lilás

Criada em 2017, a Rede Integrada Laço Lilás reúne entidades voltadas para o atendimento a vítimas de violência de gênero. O grupo tem como meta fazer Novo Hamburgo recuar na lista de líderes de ocorrências no Estado. Com encontros promovidos na sede do Legislativo e organizados pela Procuradoria Especial da Mulher, a rede é composta pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Brigada Militar, Patrulha Maria da Penha, Centro de Referência e Atendimento Creas/Viva Mulher, Núcleo de Apoio aos Direitos da Mulher (Nadim) e Laços de Vida, ambos da Universidade Feevale, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres (CMulher), Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (Comdim) e dos Direitos e Cidadania do Idoso (CMDCI), Comissões da Mulher e da Criança e Adolescente da OAB/NH, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e coletivos.

registrado em: