Projeto Elas por Elas de defesa pessoal implementado em Novo Hamburgo pode ser usado em outras cidades do Estado

por Maíra Kiefer última modificação 01/06/2021 22h38
1º/06/2021 – Uma iniciativa pioneira no Brasil terá início em Novo Hamburgo no próximo dia 9. O lançamento oficial do Projeto Elas por Elas, para munir mulheres com técnicas de defesa pessoal, sem nenhum custo para as participantes, ocorreu nesta terça, 1°, em ato realizado no Legislativo. A Casa foi escolhida para sediar o anúncio por abrigar a Procuradoria Especial da Mulher, parceira na proposta que originalmente nasceu na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Novo Hamburgo (Deam).
Projeto Elas por Elas de defesa pessoal implementado em Novo Hamburgo pode ser usado em outras cidades do Estado

Crédito: Maíra Kiefer/CMNH

"Se Deus quiser, este projeto vai para todas as Deams do nosso Estado", disse a delegada Raquel Peixoto, informando que as vagas se esgotaram para os dois primeiros meses. Idealizadora da proposta, a titular da delegacia hamburguense chamou para ser o instrutor das aulas Cezar Nunes, mestre em Hapkido que atua desde 2008 no treinamento de policiais.  

Quando a delegada me contatou para esse projeto, e também o co-autor, o comissário Everton Bach, eu aceitei na hora o desafio. O primeiro curso de defesa pessoal realizado no Rio Grande do Sul fui eu quem fez, em 1994, em Canoas. De lá para cá, foram muitos treinamentos no estado e fora dele. Aqui em Novo Hamburgo, essa proposta vai entrar para a história. É a primeira no país que efetivamente vai começar. Estou orgulhoso de fazer parte dessa iniciativa”, afirmou Nunes, explicando que a união de esforços da Polícia Civil, Rede Integrada Laço Lilás, Executivo, Trensurb e as parcerias de parlamentares resultaram no ineditismo da ação.

Conforme o instrutor, serão cerca de 40 técnicas ensinadas. “Para que uma dessas possa salvar a vida. A gente precisa somente de uma”, destacou, explicando que demonstraria algumas delas juntamente a sua aluna faixa preta Jéssica Georg, de 20 anos, que há 10 anos treina artes marciais.

Com inscrições esgotadas para os primeiros grupos, as novas participantes podem se candidatar por meio do WhatsApp da Rede Lilás (51 3594-0560) para futuros treinamentos. 

Ampliação da iniciativa

A diretora-geral do Departamento Estadual de Proteção a Grupos Vulneráveis, delegada Caroline Bamberg, disse sentir-se lisonjeada em participar da proposta, mesmo que inicialmente como apoiadora. "Mas queremos, com certeza, levar para as outras delegacias das mulheres e outras delegacias do Estado e aproveitar parceiros como o mestre Cezar para fazer isso. Creio que todos os municípios têm pessoas assim", falou. 

Em seu pronunciamento, a diretora da Divisão de Proteção e Atendimento à Mulher (Dipan), delegada Jeiselaure Rocha de Souza, trouxe um dado preocupante sobre a realidade da subnotificação dos registros de violência doméstica e quanto essa situação pode ser impactada positivamente com a adoção da iniciativa Elas por Elas: “Noventa por cento dos casos não chegam ainda ao conhecimento das autoridades. Este projeto é muito relevante porque, além da questão da mulher saber se defender, criaremos uma cultura de segurança, um estado de alerta para todas as ocasiões da vida. Quando fazemos essas dinâmicas, são importantes os encontros das mulheres na mesma situação de violência. Quando uma conhece a outra, ela percebe que não é a única, consegue se fortalecer. Conte conosco para levar essa iniciativa às demais delegacias”, afirmou a diretora da Dipan.

O diretor da 3ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana de São Leopoldo, delegado Eduardo Hartz, afirmou que a Delegacia da Mulher precisa ter seu olhar voltado para a questão da vulnerabilidade, e esse ponto vem ao encontro do projeto Elas por Elas. "Sabemos que, muito mais que aplicar um golpe e eventualmente aprender a se defender, é essencial a postura daquela pessoa que pratica artes marciais ou que desenvolve uma noção das técnicas, no sentido de ela ser mais autoconfiante e saber portar-se em uma situação de iminente violência", explicou. 

Parcerias

Segundo Semilda – Tita (PSDB), procuradora especial da Mulher, o projeto abordará, de modo geral, os seguintes aspectos: como se proteger de ataques e agressões; como agir em situações em que as mulheres se sintam acuadas; princípios de defesa pessoal e movimentos para atacar o agressor; entre outros. "Para mim, é um prazer estar aqui hoje. Eu e a delegada Raquel nos conhecemos quando atuei como conselheira tutelar, cargo que deixei em 2003. Nunca perdemos o vínculo. Sozinho ninguém faz nada”, afirmou, agradecendo o apoio da presidência da Casa, conduzida por Raizer Ferreira (PSDB).

“Aprender a prática da defesa pessoal pode diminuir muito os casos de feminicídio ou qualquer tipo de agressão e abuso, ajudando assim as mulheres a se protegerem com objetos que têm em suas próprias casas e com técnicas precisas para não sofrerem mais esses ataques”, encerrou Tita, lembrando a importância da Rede Integrada Laço Lilás, que une as entidades de todo o Município na área de defesa às vítimas de violência de gênero.

O presidente do Legislativo, Raizer Ferreira (PSDB), também falou sobre a sinergia entre os grupos envolvidos nas iniciativas de busca pelos direitos das mulheres no Município. "Ressalto o importante trabalho desempenhado pela Procuradoria da Mulher desta Casa juntamente às suas parcerias – Polícia Civil e Rede Lilás – em um momento como este que estamos vivenciando, de pandemia, no qual temos dados concretos que evidenciam o aumento do número de violência doméstica", concluiu.

O deputado estadual Gaúcho da Geral (PSD) acompanhou o lançamento da iniciativa. Ele patrocinou a confecção de camisetas para todas as alunas e assina projeto de lei baseado na proposta hamburguense. O parlamentar procurou a delegada para saber mais detalhes sobre a ação em Novo Hamburgo e para implantar o programa intitulado RS por Elas em âmbito estadual. Protocolada no mês de maio, a proposição já está em trâmite na Assembleia. Em Mato Grosso do Sul, segundo Raquel Peixoto, a senadora Soraya Thonicke (PSL) também propôs matéria legislativa semelhante.

Além do parlamentar, estiveram presentes também o secretário de Segurança Pública do Município, Roberto Jungthon, e o representante da Trensurb Paulo Lomando. A condução da apresentação foi feita pela servidora da Procuradoria Especial da Mulher, Carolyne Andersson.

Dicas TV Câmara

No mês de março, como parte da programação do Mês da Mulher, a TV Câmara gravou vídeo com dicas ensinadas pelo mestre Cezar e agentes da polícia. O registro foi feito na Praça da Bandeira, em frente à Deam, em virtude da pandemia.

Confira as fotos do lançamento.