Procuradoria Especial da Mulher faz palestra para estudantes da Escola João Goulart

por Tatiane Souza última modificação 24/10/2018 15h27
24/10/2018 – Alunos do 6º e do 7º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Presidente João Goulart estão desenvolvendo o projeto Você Não Precisa Ser Vítima de Nada, que pretende investigar, divulgar e conscientizar todos os tipos de violência contra a mulher. Por conta disso, a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara foi convidada a dar uma palestra na instituição na manhã desta quarta-feira, 24, para explicar o trabalho e as campanhas realizados neste ano. A procuradora, vereadora Patricia Beck (PPS), e a servidora do Legislativo, Carolyne Andersson, ressaltaram aos estudantes o perfil das mulheres que buscam atendimento e que as agressões partem não somente do marido ou companheiro, mas dos filhos também.
Procuradoria Especial da Mulher faz palestra para estudantes da Escola João Goulart

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

A procuradora especial da mulher, Patricia Beck, explicou como funciona e os objetivos das campanhas Não é Não – contra o assédio no ambiente de trabalho e Fale Agora – Pelo fim da violência contra a mulher.  

Ela ressaltou que as agressões não são só físicas, mas também psicológicas e verbais. “As mulheres nos procuram, não precisam se identificar, e nós realizamos o encaminhamento para o acompanhamento jurídico e psicológico”, apontou Carolyne. A vereadora Patrícia falou sobre as medidas protetivas para assegurar a integridade física das mulheres que realizam a denúncia e enfatizou que, estatisticamente, é mais seguro para a mulher realizar a denúncia do que se calar. A vereadora ainda frisou aos jovens a importância do trabalho realizado pela Rede Integrada Laço Lilás – grupo criado com o objetivo de integrar os órgãos e entidades que atuam no setor em Novo Hamburgo – Câmara, Brigada Militar, Polícia Civil, Patrulha Maria da Penha, Defensoria Pública, Juizado de Violência Doméstica, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres, Ministério Público, Centro de Referência Viva Mulher e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim. 

Dos atendimentos realizados pela Procuradoria Especial da Mulher neste primeiro ano de atuação, 70% dizem respeito à violência psicológica e moral. Ainda segundo os dados da procuradoria, as vítimas que procuraram ajudam estão entre os 18 e 55 anos. 

Os alunos fazem parte do Grupo Junto e Misturado e participam do Movimentos e Vivências na Educação Integral (MOVE), programa do governo municipal ofertado às crianças no contraturno, e estão sendo acompanhados pelas professoras Gabriela Hoff e Tatiane Pereira, coordenadora do MOVE. A ideia, segundo as alunas Gabriela Chagas, 13 anos, e Ana Júlia Rodrigues, 12, é apresentar o resultado do trabalho para toda a escola. “Até a professora se surpreendeu com o assunto escolhido por nós, é bem pesado, chocante, mas é uma realidade”, advertiu Gabriela. 

Saiba mais sobre a Procuradoria Especial da Mulher

Atendimento: Rua Almirante Barroso, 261 – Térreo

Telefone de contato: 3594 0560

Horário de atendimento: 9h às 18h

Denúncias de violência contra a mulher

3594 0560 ou 180

registrado em: