Procuradoria Especial da Mulher busca apoio do IGP para implantar Sala Lilás

por Maíra Kiefer última modificação 21/12/2018 09h38
22/11/2018 - As cidades de Novo Hamburgo e Canoas estão entre as localidades para investimentos futuros por parte do Instituto Geral de Perícias (IGP). A afirmação foi feita pelo o diretor do Departamento Médico Legal, Luciano Haas, e pelo Chefe da Divisão de Perícias Metropolitana, César Augusto M. Pereira Ferreira. Contudo, ainda não será possível encaminhá-los nesse momento. As necessidades de peritos e de uma Sala Lilás em território hamburguense foram debatidas na última quarta-feira, dia 21, em reunião realizada em Porto Alegre, da qual fizeram parte também a Procuradora Especial da Mulher da Câmara, Patricia Beck (PPS), e a servidora do Legislativo, Carolyne Andersson.
Procuradoria Especial da Mulher busca apoio do IGP para implantar Sala Lilás

Crédito: Giovani Gafforelli/CMNH

Em ofícios encaminhados ao IGP, um do mês de maio e outro de novembro, foram solicitadas a reativação do Posto Médico Legal e a implementação de uma Sala Lilás. A falta de espaço apropriado para as perícias nos casos de violência contra a mulher faz com que elas tenham de se deslocar às cidades vizinhas, como São Leopoldo e Canoas, para receberem atendimento, o que acaba dificultando as denúncias e desmotivando as vítimas a lutarem por punição aos seus agressores.

Os responsáveis pelo IGP esclareceram que a criação desse local especial não se restringe exclusivamente à disponibilidade de um espaço físico. Também será necessária uma unidade de necrópsia para perícias, assim como uma equipe multidisciplinar de profissionais. Em 2015, tiveram início as negociações para a instalação de uma unidade regional do IGP, abrangendo local para exames de corpo de delito e necropsia, perícias, além de confecção de carteiras de identidade. O custo elevado para a obra de reforma do antigo fórum, cedido pela Prefeitura de Novo Hamburgo, para abrigar a unidade do IGP, podem inviabilizar a instalação.

Tanto Ferreira quanto Haas não questionam a importância estratégica da cidade e a abrangência que poderia ser alcançada com um atendimento especializado em Novo Hamburgo. Segundo eles, mais de 1 milhão de pessoas seriam contempladas, em virtude dos municípios do entorno.

Devido às dificuldades para o projeto sair do papel, a vereadora Patricia Beck informou que buscará alternativas de outros locais para abrigar a Sala Lilás. Entre as sugestões, está um espaço localizado na Domingos de Almeida, que já havia sido usado pelo IGP. Atualmente, a unidade em funcionamento em Novo Hamburgo, na qual são feitas carteiras de identidade, localiza-se na rua David Canabarro. Esse prédio também necessita reformas.