Procuradoria da Mulher reforça orientações de ajuda a vítimas em atividades no Município

por Maíra Kiefer última modificação 22/10/2021 15h14
22/10/2021 – Neste mês, a Procuradoria Especial da Mulher e a Rede Integrada Laço Lilás intensificaram as ações de conscientização sobre os caminhos de auxílio para as vítimas de agressões, de assédio e de condutas que provoquem danos emocionais e diminuição da autoestima. O Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher, celebrado em 10 de outubro, é um alerta para esses tipos de situação. A preocupação com dados que indicam uma redução das denúncias no período da pandemia somada à flexibilização dos protocolos de atividades com público, autorizada pelo governo estadual, levaram as voluntárias e órgãos competentes às ruas para orientar a comunidade sobre as possibilidades de socorro.
 Procuradoria da Mulher reforça orientações de ajuda a vítimas em atividades no Município

Crédito: Maíra Kiefer/CMNH

No dia 8, a Procuradoria Especial da Mulher participou do evento Colorindo Caminhos, realizado no Kephas e promovido pelas secretarias de Cultura, de Esporte e Lazer; de Saúde; de Segurança; de Desenvolvimento Social; de Meio Ambiente e de Educação. Além da procuradora especial Tita (PSDB), estiveram presentes o vereador Darlan Oliveira (PDT); a assessoria da deputada estadual Zilá Breitenbach; a gestora dos projetos socioculturais Roberta Cornely; e a servidora do Legislativo Carolyne Andersson. A atividade disponibilizou vacinação com o imunizante da Pfizer contra a Covid-19, testes rápidos de sífilis, HIV e hepatites B e C, orientações sobre saúde bucal, além de oficina de audiovisual. 

Informamos a população que o Busão da Saúde (Unidade Móvel de Vacinação) vinha para cá. Tem muitas pessoas que, por terem outro compromisso, não conseguiram se vacinar e hoje estão tendo essa oportunidade”, relatou Darlan. 

Na área da violência de gênero, além da Rede Lilás, houve a participação do Conselho Tutelar. Segundo a parlamentar e ex-conselheira, o apoio da Rede Lilás ao evento sela uma parceria que deve se refletir também na retomada do Domingo por Elas em 2022. Há dois anos a atividade buscou aproximação da população dos bairros com os serviços de auxílio às mulheres vítimas de violência de gênero. “Eles precisam saber o que existe, onde buscar apoio, é um direito. Houve muito mais violência durante a pandemia, não só contra a mulher, mas também contra as crianças, tanto meninas e meninos. Não estando na rua, o que aconteceu dentro de casa?” acrescentou. 

Voluntária da Rede Lilás, Roberta Cornely reforçou a preocupação da entidade com as circunstâncias trazidas pelo confinamento. “Os casos de violência contra a mulher aumentaram muito, por isso, a rede continuou se encontrando virtualmente para debates e até mesmo para fortalecimento do grupo. Coube à Rede Lilás, segundo ela, a parte de levar orientações para o Kephas para as vítimas de violência doméstica 

Roberta informou ainda como surgiu o projeto Colorindo Caminhos. “É uma iniciativa da Cultura em parceria com mais noves secretarias. Estamos nos reunindo desde março para fazer ações de saúde mental para a comunidade. Escolhemos o Kephas por ser uma comunidade de vulnerabilidade social, que se construiu, através de mutirão dos próprios moradores ”, afirmou. 

Além desse evento, a Procuradoria da Mulher buscou aproximação com outros órgãos do Executivo. Na última quarta, 20, a vereadora Tita reuniu-se com o diretor da Unidade de Gestão de Projetos de Prevenção à Violência (UGPPV) da Prefeitura, Daniel Bota, para buscar ajuda em ações para reduzir os casos de violência doméstica. Também nesta semana, o Ambulatório de Saúde Mental do município de Novo Hamburgo recebeu a visita da servidora Carolyne Andersson, responsável pelo braço do Legislativo nas questões das mulheres, e de Roberta Cornelly. Durante o encontro, foram discutidos temas como a necessidade de levantamento e tabulação de dados a respeito das vulnerabilidades de cada bairro e os caminhos a serem perseguidos na busca pelo atendimento psicossocial. Participaram do diálogo psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros e técnicos.  

No dia 7 de outubro, um projeto pioneiro da Polícia Civil resultou na formatura da primeira turma de mulheres que participaram do Programa PC Elas por Elas, idealizado pela titular da  Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Novo Hamburgo (Deam), Raquel Peixoto, e realizado com a parceria do professor Marcio Mendonça, da Equipe A Jiut Jitsu. A iniciativa consiste em aulas gratuitas de defesa pessoal. O projeto recebe o apoio da Procuradoria Especial da Mulher desde seu lançamento, realizado no Legislativo hamburguense em junho deste ano. A Câmara auxilia o grupo na divulgação e realização das inscrições para as aulas.

Segundo informações de Raquel, foram mais de 30 mulheres que chegaram na Delegacia pedindo ajuda e, hoje, após o treinamento de jiu-jitsu estão transformadas. O evento contou com um aulão especial para as mulheres das quatro turmas em andamento e seus familiares. As aulas vão ser ministradas agora no bairro Boa Saúde. Há previsão ainda de estender o projeto aos bairros Kephas e Santo Afonso.

Foi muito positivo. A gente tem conversado bastante com as mulheres. As que estão terminando o curso, que se formaram, e o quanto elas se autovalorizaram”, afirmou Tita, ressaltando as repercussões também na autoestima das participantes.

 

Confira as fotos do lançamento.