Primeiro evento da Rede Laço Lilás deve ocorrer no final de julho

por Maíra Kiefer última modificação 07/06/2019 18h20
07/06/2019 – A Rede Integrada Laço Lilás prosseguiu nesta sexta-feira, dia 7, as tratativas para a promoção de atividades com o intuito de divulgar os serviços e canais disponíveis para auxiliar as vítimas de violência doméstica. Durante a reunião, realizada nas dependências do Legislativo, ficou pré-agendada a primeira ação, batizada de Domingo por Elas, para o dia 28 de julho, das 14h às 17h, na Praça CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), no bairro Boa Saúde. O local para a estreia da atividade foi sugestão da vereadora Tita (PP), atual procuradora especial da Mulher. As próximas edições, ainda sem previsão de data, devem ser realizadas nos bairros Canudos, Diehl e Santo Afonso.
Primeiro evento da Rede Laço Lilás deve ocorrer no final de julho

Crédito: Maíra Kiefer/CMNH

A iniciativa prevê atendimentos gratuitos voltados à comunidade, como cortes de cabelo, maquiagem e serviços odontológicos, mas sem serem restritos às mulheres. Os serviços serão ofertados a todas as pessoas, inclusive crianças. Esse modelo de evento, proposto pela parlamentar com base em sua experiência como cabeleireira, visa a oferecer o trabalho de profissionais voluntários associado à oferta de informações sobre as contribuições que a Rede Lilás pode dar para reduzir os percentuais de agressões e óbitos. Estandes e bancas com os materiais de divulgação dos integrantes do grupo poderão ser visitados pelo público.

Além de discutir a formatação do evento no Boa Saúde, foi apresentado pela servidora da Câmara Carolyne Andersson um esboço do fluxograma com os caminhos de atendimento que as mulheres devem conhecer em caso de violência física ou psicológica. Esse material deverá ser distribuído na ação Domingo por Elas. Como exemplo de iniciativa bem-sucedida, ela citou o projeto Mãos Empenhadas, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul e adotado também no Pará, Piauí e São Paulo, cujo objetivo é capacitar profissionais de beleza e estética para identificar sinais de violência – física, sexual e psicológica – entre suas clientes e conscientizá-las sobre as atitudes para se reverter esse ciclo. Por enquanto, as participantes da Rede Laço Lilás decidiram concentrar os esforços na realização de atividades nos bairros e do 2º Seminário de Saúde em Novo Hamburgo, adiando a proposta de capacitação.

Contribuíram com o debate para a realização do evento a coordenadora de gabinete da vereadora Tita, Liliane Machado Kasper, a coordenadora das Políticas Públicas para Mulheres de Novo Hamburgo, Eliana Benkenstein, a coordenadora e psicóloga do Centro de Referência Viva Mulher, Elis Regina de Barros Evaldt, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Paula Michele da Silva, a conselheira tutelar Tassi Wilborn, a representante do Conselho Municipal do Idoso, Glacira Eli Santos da Silva, e as advogadas Ligia Beatriz Galaschi e Vanessa Flores Attollini, integrantes da Comissão da Criança e do Adolescente da OAB/NH.

Local da atividade

Localizado na rua do Bosque, s/nº, o CEU possui quadras esportivas, área de jogos, salão, playground, equipamentos de ginástica e quadra coberta. Ele integra, em um mesmo espaço físico, programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital. 

Rede Integrada Laço Lilás

A Rede Integrada Laço Lilás tem como missão salvar e transformar a vida de muitas mulheres, por meio da integração das entidades que atendem as vítimas de violência. O grupo pretende ainda trabalhar a prevenção, ampliar e aprimorar seus serviços e fazer com que Novo Hamburgo deixe de ser uma das cidades com o maior número de ocorrências de violência contra a mulher no Estado.

 

 

 

 

 

Procuradoria Especial da Mulher