Primeira edição do Domingo por Elas leva informação e serviços ao Boa Saúde

por Maíra Kiefer última modificação 29/10/2019 15h44
29/07/2019 – Casada há nove anos e mãe de quatro filhos, Maria Fernanda* convive com a realidade da violência doméstica em seu cotidiano. Agressões físicas e psicológicas são usuais mesmo quando o marido está sóbrio. Ela não é o único alvo das investidas; as crianças, duas delas de um relacionamento anterior, também sofrem com a situação. “Eu não admito que ele as machuque”, desabafou a jovem de 27 anos, que esteve presente na primeira edição do Domingo por Elas, realizado no dia 28, na Praça CEU, no bairro Boa Saúde.
Primeira edição do Domingo por Elas leva informação e serviços ao Boa Saúde

Crédito: Maíra Kiefer/CMNH

O evento, promovido pela Rede Integrada Laço Lilás, teve como intuito levar informações sobre os canais de atendimento a essas mulheres que buscam uma alternativa para resgatar suas vidas e preservar os filhos dos traumas de um ambiente familiar violento. Assim como outras vítimas, Maria Fernanda percebia já na época do namoro indícios do comportamento mais agressivo, externado então por meio de palavras. Ela revelou que recentemente buscou auxílio, mas as tentativas foram infrutíferas pelo fato de não possuir renda. À procura de ajuda, a dona de casa conversou com representantes da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) que participaram da atividade para dar orientações.

Idealizada pela procuradora especial da Mulher, vereadora Tita (PP), a ação não era exclusivamente voltada ao atendimento desses casos. Para a parlamentar, o Domingo por Elas deve acolher a família, oferecendo serviços que contemplem a todos. A ideia é que futuras edições aconteçam também nos bairros Canudos, Diehl e Santo Afonso. “Na verdade, o objetivo é quebrar um silêncio que existe na comunidade. Elas não sabem onde procurar ajuda. Nós precisamos dizer que, sim, existe atendimento, existem pessoas que querem auxiliar”, reforçou Tita, acrescentando que, além das mulheres, há uma preocupação com as crianças, homens e idosos que compõem esses núcleos familiares.

Durante a atividade, foram distribuídos materiais de divulgação da Coordenadoria das Políticas Públicas para Mulheres de Novo Hamburgo; da Deam; do Centro de Referência e Atendimento Creas/Viva Mulher; da Procuradoria Especial da Mulher; do Núcleo de Apoio aos Direitos da Mulher (Nadim) e do Laços de Vida, ambos da Feevale; das Comissões da Mulher e da Criança e Adolescente da OAB/NH; dos Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (Comdim) e dos Direitos e Cidadania do Idoso (CMDCI); do Clube Desbravadores Aventureiros, que reúne crianças e jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia; entre outros.

Presente ao evento, Raul Cassel (MDB), presidente da Câmara, elogiou a iniciativa da Procuradoria Especial da Mulher, também representada pela servidora Carolyne Andersson, e dos parceiros da Rede Integrada Laço Lilás, assim como os apoios prestados pelo Sesc, Secretaria Municipal de Saúde e forças policiais. “Parabenizo essa legião de voluntários que no domingo estão fazendo essa ação. É educativo, é uma prestação de serviços que aproxima a comunidade dos governantes e que desmitifica um pouco o papel do Legislativo nas discussões que às vezes não são tão interessantes à população”, finalizou.

Para Nor Boeno (PT), o trabalho realizado é de extrema importância, especialmente porque contemplou as crianças da região, que merecem um olhar especial das autoridades.

Serviços

Nesta edição, quatro cabeleireiros voluntários, entre eles a própria vereadora, fizeram cerca de 80 cortes de cabelo. No mesmo espaço, havia ainda a realização de brechó solidário, organizado por Claudete Schneider, do Conselho da Missão Luterana Primavera, e por mais três voluntárias, no qual foram comercializados sapatos e roupas. Além da pracinha e da quadra já existente no local, crianças e jovens puderam usufruir brinquedos infláveis montados pelo Sesc/Fecomércio.

Na área de cuidados com a saúde, a dentista Caayari Américo, da Sorrifácil, repassou orientações sobre higiene bucal. A profissional informou que houve grande procura por parte das crianças para serem avaliadas no consultório móvel, instalado em uma van. Ela constatou entre os pequenos um número significativo de perdas dentárias, provocadas por cáries e extrações de dentes decíduos.

Os cidadãos que queriam verificar a pressão, os níveis de açúcar no sangue, assim como fazer testes rápido de HIV, sífilis e hepatites B e C, buscaram atendimento na Unidade Móvel de Saúde de Novo Hamburgo, na qual trabalhavam cinco profissionais. A técnica em enfermagem Raquel Pedroso informou que as 15 fichas para os exames de detecção de doenças sexualmente transmissíveis se esgotaram antes das 16h. Para realizá-los, são necessários 15 minutos para cada paciente.

Com diabetes desde 2010, Vera de Lourdes de Aguiar, 54 anos, fez a medição da glicose com as profissionais e constatou que estava em nível preocupante – 500 mg/dl. Orientada pela equipe a utilizar a insulina assim que chegasse em casa, Vera comprometeu-se a buscar atendimento médico em breve. 

Durante a ação, foram distribuídos ainda 400 cachorros-quentes, feitos por voluntários tanto da comunidade quanto ligados à Rede Integrada Laço Lilás. Um grupo de mulheres, formadas em oficinas oferecidas na Praça CEU, fez cupcakes e os vendeu a preços convidativos. O conhecimento faz a gente ter libertação. Quando acontece um evento como esse, tu tens a possibilidade de conhecer pontes para buscar os teus direitos. Assim ninguém vai te passar a perna’, resumiu a confeiteira Rosângela Paz Mauer, de 42 anos.

Presenças

Além dos três parlamentares, estiveram presentes o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Roberto Daniel Bota, coordenadora das Políticas Públicas para Mulheres de Novo Hamburgo, Eliana Benkenstein, o diretor-geral do Legislativo, Deiwid Amaral da Luz, e o diretor da Guarda Municipal, Ulisses José da Silva.Os profissionais de segurança deram suporte para a realização do evento. Entre os representantes da Rede Lilás, estavam dando orientações as advogadas Claudia Maria Petry de Faria e Ligia Beatriz Galaschi, integrantes da OAB/NH; Glacira Eli Santos da Silva, presidente do Conselho Municipal do Idoso (CMDCI); Paula Michele da Silva, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim); Ronalisa Torman, coordenadora do projeto de extensão Laços de Vida da Universidade Feevale; Roberta Larini, escrivã da Delegacia Especializada para a Mulher de Novo Hamburgo; a policial civil Márcia Caixinhas; Liliane Machado Kasper e Daniel de Morais Veiga, chefe de gabinete e assessor da vereadora Tita, respectivamente.

Laço Lilás

Criada em 2017, a Rede Integrada Laço Lilás reúne entidades voltadas para o atendimento a vítimas de violência de gênero. O grupo tem como meta fazer Novo Hamburgo recuar na lista de líderes de ocorrências no Estado. Com encontros promovidos na sede do Legislativo e organizados pela Procuradoria Especial da Mulher, a rede é composta pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Brigada Militar, Patrulha Maria da Penha, Centro de Referência e Atendimento Creas/Viva Mulher, Núcleo de Apoio aos Direitos da Mulher (Nadim) e Laços de Vida, ambos da Feevale, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres (CMulher), Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (Comdim) e dos Direitos e Cidadania do Idoso (CMDCI), Comissões da Mulher e da Criança e Adolescente da OAB/NH, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e coletivos.

* Por questões de segurança, a reportagem usou um nome fictício. 

Domingo por Elas

registrado em: