Prefeitura encaminha criação de casa de passagem para moradores de rua

por Luís Francisco Caselani última modificação 11/06/2019 16h10
11/06/2019 – A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS) trabalha para instituir um novo espaço de acolhimento a moradores em situação de rua. Sob o formato de casa de passagem para adultos, o ambiente ofertará, além do pernoite, diferentes atividades durante o dia, incluindo cursos de capacitação. A informação foi divulgada pelo titular da pasta, Roberto Daniel Bota, aos vereadores Fernando Lourenço (SD) e Tita (PP) durante reunião da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa do Consumidor (Codir) na tarde de segunda-feira, 10 de junho.
Prefeitura encaminha criação de casa de passagem para moradores de rua

Foto: Kassiane Michel/CMNH

O secretário participou do encontro a convite dos parlamentares para apresentar dados do acolhimento a moradores de rua no Município. A iniciativa do debate foi da presidente da comissão, vereadora Tita, que defende a valorização do ser humano por meio de sua inserção no mercado de trabalho e a recuperação de sua dignidade. Bota esclareceu que a casa de passagem deve se somar ao trabalho do Centro de Referência Especializado em Assistência Social para a População em Situação de Rua (Centro Pop/SAS Rua). Apenas em 2018, o serviço contabilizou 131 abordagens sociais e quase 16 mil atendimentos.

Em média, mais de 60 pessoas utilizam sua estrutura diariamente. Aberto também a cidadãos de outros municípios, o Centro Pop serve café da manhã e conta com banheiros para higienização, lavanderia e áreas de convivência. Além disso, são oferecidas oficinas semanais de cinema, comunicação, direito, documentação, enfermagem, pedagogia, psicologia e trabalho. Ao todo, foram 320 encontros no ano passado, em atividades que contam com a parceria da Universidade Feevale. O objetivo da SDS é orientar para a ressocialização, promovendo ações que incentivem o protagonismo e a participação social.

Temos atividades de adesão voluntária, porque não podemos obrigá-los a fazer. Aos que querem, conseguimos dar algum encaminhamento. No ano passado, 21 pessoas foram tiradas da rua, passando a uma vivência diferente, com renda e moradia. Mas o poder público não pode interferir na vontade da pessoa em estar na rua”, ponderou Bota. O titular da SDS ainda informou que o albergue Bom Pastor já atua com o dobro de sua capacidade regular, medida que será mantida durante os meses de inverno. O secretário da Codir, Fernando Lourenço, elogiou o trabalho realizado, destacando a importância de se buscar o retorno dos moradores de rua ao convívio em sociedade. O relator Enfermeiro Vilmar (PDT) não acompanhou a reunião.

O que são as comissões?

A Câmara conta com oito comissões permanentes, cada uma composta por três vereadores. Essas comissões analisam as proposições que tramitam pelo Legislativo. Também promovem estudos, pesquisas e investigações sobre temas de interesse público. A Lei Orgânica Municipal assegura aos representantes de entidades da sociedade civil o direito de participar das reuniões das comissões da Casa, podendo questionar seus integrantes. A Codir se reúne às segundas-feiras, a partir das 15h30min, na sala Sandra Hack, no quarto andar do Palácio 5 de Abril.