Mães de alunos da rede municipal devem reivindicar retomada de atividades em psicomotricidade

por Luís Francisco Caselani última modificação 10/09/2019 14h12
10/09/2019 – A Comissão de Educação da Câmara (Coedu) voltou a receber na tarde de segunda-feira, 9, um grupo de cidadãs que pleiteiam para seus filhos o retorno das atividades especializadas em psicomotricidade promovidas pelo Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP), iniciativa mantida pela Secretaria de Educação (Smed). O encontro deveria contar com representantes da pasta, mas, por ofício, eles comunicaram conflito de agenda. O documento também aponta que todos os estudantes com algum tipo de deficiência já possuem atendimento educacional especializado em salas de recursos multifuncionais dentro das próprias escolas. Insatisfeitas com o argumento, as mães anteciparam que reivindicarão a retomada do serviço em outras instâncias.
Mães de alunos da rede municipal devem reivindicar retomada de atividades em psicomotricidade

Fotos: Kassiane Michel/CMNH

No ofício, a Smed disse já ter se manifestado sobre o assunto em resposta ao Requerimento nº 857/2019, assinado pelo presidente da Coedu, Felipe Kuhn Braun (PDT), e pelo vereador Enio Brizola (PT), que também monitora a situação. Na ocasião, a secretária Maristela Guasselli afirmou que o atendimento especializado dentro das escolas acompanha as necessidades específicas de cada aluno. O texto ainda informava que a equipe multiprofissional da pasta estava analisando os casos e, caso entendida a necessidade de continuidade do atendimento, os alunos seriam encaminhados a outros profissionais do próprio NAP.

Saiba mais: Mães reclamam do encerramento das atividades de psicomotricidade no NAP

As mães Andreia Kuhs, Ângela Ferreira e Carolina Glaser procuraram a comissão parlamentar após o encerramento do serviço com a aposentadoria da professora responsável. Elas reforçaram que as atividades oferecidas pelas escolas não envolvem a psicomotricidade, ação pedagógica que busca melhorar o comportamento da criança com seu corpo. Elas ainda lembraram que seus filhos não receberam alta e voltaram a lamentar a ausência de planejamento para a reposição da servidora.

A relatora da Coedu, Tita (PP), recomendou que as mães procurem o Conselho Tutelar para levar a demanda adiante. O presidente Felipe e o secretário Nor Boeno (PT) também indicaram a possibilidade de pleitear a retomada do atendimento por meio da atuação da Defensoria Pública e do Ministério Público. “O trabalho do NAP é diferenciado. É isso que as mães querem. Se as crianças tinham direito ao atendimento, é por se tratar de uma necessidade. Elas não podem ficar desassistidas”, salientou Tita.

O que são as comissões?

A Câmara conta com oito comissões permanentes, cada uma composta por três vereadores. Essas comissões analisam as proposições que tramitam pelo Legislativo. Também promovem estudos, pesquisas e investigações sobre temas de interesse público. A Lei Orgânica Municipal assegura aos representantes de entidades da sociedade civil o direito de participar das reuniões das comissões da Casa, podendo questionar seus integrantes. A Coedu se reúne às segundas-feiras, a partir das 15h, na sala Sandra Hack, no quarto andar do Palácio 5 de Abril.