Vereadores rejeitam programa para adoção de placas informativas em Novo Hamburgo

por Jaime Freitas última modificação 12/07/2021 21h34
12/07/2021 – Após dois pedidos de vista, a Câmara de Novo Hamburgo rejeitou por 9 votos a 4, nesta segunda-feira, 12, em primeiro turno, substitutivo apresentado por Gustavo Finck (PP) que cria o programa Placa Legal. A iniciativa viabiliza o estabelecimento de parceria entre poder público e iniciativa privada para a adoção de placas informativas na cidade. O texto deve retornar à pauta de votações na sessão desta quarta, 14.
Vereadores rejeitam programa para adoção de placas informativas em Novo Hamburgo

Foto: Daniele Souza/CMNH

Os conteúdos seriam especialmente direcionados para a divulgação de campanhas e ações de interesse público, reforço nas sinalizações turísticas, culturais e paisagísticas e prevenção a atos de violação como o descarte irregular de resíduos, abandono de animais, uso irregular de bens públicos e degradação ambiental e urbanística. Finck acredita na adesão ao programa devido à possibilidade de as entidades adotantes exporem suas marcas nas placas, o que deverá ser regrado pela Prefeitura no termo de parceria.

A aprovação do substitutivo possibilitará que empresas locais, bem como a sociedade civil organizada, contribuam com a administração municipal. Em contrapartida, a empresa ganha notoriedade ao ter seu nome estampado na placa adotada. Esperamos, com isso, uma maciça participação por parte dos empresários”, explica o autor.

Leia na íntegra o Substitutivo nº 5/2021.

 

A aprovação ou rejeição em primeiro turno

Na Câmara de Novo Hamburgo, os projetos são sempre apreciados em plenário duas vezes. Um dos objetivos é tornar o processo (que se inicia com a leitura da proposta no Expediente, quando começa sua tramitação) ainda mais transparente. O resultado que vale de fato é o da segunda votação, geralmente realizada na sessão seguinte. Assim, um projeto pode ser aprovado em primeiro turno e rejeitado em segundo – ou vice-versa.

registrado em: