Vereadores pedem que processos seletivos da Fundação não sejam direcionados apenas a médicos brasileiros

por Daniele Silva última modificação 31/07/2019 17h11
31/07/2019 – Os vereadores aprovaram na sessão desta quarta-feira, dia 31, o Requerimento nº 777/2019, de autoria da vereadora Patricia Beck (sem partido), para que os processos seletivos da Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (FSNH) não sejam direcionados apenas aos médicos brasileiros, oportunizando também a participação de profissionais estrangeiros que inclusive já estão inseridos na rede municipal. O texto foi incluído na Ordem do Dia por solicitação da autora.
Vereadores pedem que processos seletivos da Fundação não sejam direcionados apenas a médicos brasileiros

Foto: Kassiane Michel/CMNH

Na tribuna, Patricia relatou que há dez profissionais que, a partir de outubro, seriam desligados da rede municipal de saúde. “Desses, cinco já têm inclusive revalidado o CRM. São dois uruguaios, duas argentinas e um venezuelano. Então, eles atendem a todos os requisitos para a prestação do serviço. Com a mudança, eles poderiam seguir atuando pelo menos até março, não deixando os usuários sem atendimento.”

A vereadora destacou que são excelentes profissionais e lembrou a manifestação dos cidadãos em prol da permanência do médico Eduardo Gonzales, que atua em Lomba Grande. “São profissionais que, no meu ponto de vista, Novo Hamburgo não pode perder, pelo trabalho que fazem com as comunidades, inclusive na localidade de São João do Deserto.”

O requerimento sugere modificar o edital proposto pela FSNH para contemplar esses profissionais que estão aptos a praticarem medicina no país, fora do programa Mais Médicos.

O vereador Gerson Peteffi (MDB), que também é médico, disse apoiar a iniciativa da colega desde que eles tenham seu diploma revalidado no Brasil. Enfermeiro Vilmar e Felipe Kuhn Braun, ambos do PDT, acreditam que a mudança no texto do edital beneficiará muitas pessoas, que seguirão sendo atendidas especialmente nas unidades de saúde da família.