Sindicatos e associações de moradores cobram soluções para o transporte público em Novo Hamburgo

por Luís Francisco Caselani última modificação 18/06/2020 00h31
17/06/2020 – Em reunião no início da tarde desta quarta-feira, 17, representantes de 22 entidades comunitárias, estudantis e de trabalhadores entregaram ao presidente da Câmara de Novo Hamburgo, Gerson Peteffi (MDB), documento cobrando da Prefeitura atitudes resolutivas quanto à gestão e fiscalização do transporte coletivo na cidade. Os grupos expuseram sua preocupação com a precarização do serviço prestado pelas empresas concessionárias, agravada durante a pandemia. Por sugestão do vereador Enio Brizola (PT), que acompanhou a reunião, o manifesto será endereçado ao Poder Executivo. O texto também foi lido à secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Roberta Gomes de Oliveira, durante a sessão plenária desta quarta.
Sindicatos e associações de moradores cobram soluções para o transporte público em Novo Hamburgo

Foto: Luís Francisco Caselani/CMNH

As entidades salientam que a qualidade do serviço já vinha em queda, mesmo com o aumento das tarifas, mas a situação foi intensificada nas últimas semanas com a redução de horários e o corte de linhas de ônibus. O documento também pontua que os veículos circulam com manutenção insuficiente e descumprem o decreto municipal de calamidade pública, especialmente no que se refere aos procedimentos de higienização e à proibição ao transporte de passageiros em pé.

O Poder Público, novamente, mostra-se incapaz de fiscalizar suas próprias determinações, ao passo que as empresas concessionárias ampliam sua pressão, ultrapassam a linha da ameaça e já promoveram a paralisação de um dia no transporte coletivo na cidade”, ressalta o documento. As entidades manifestam também sua preocupação com o impacto da precarização para o emprego na cidade e para a saúde dos usuários.

Assinam o manifesto os sindicatos dos Sapateiros e Sapateiras e Componentes para o Calçado, dos Bancários e Financiários, dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgica e de Materiais Plásticos e Resina, dos Trabalhadores nas Empresas de Telecomunicações, dos Empregados no Comércio e dos Professores Municipais e em Estabelecimentos Privados; as Centrais dos Trabalhadores do Brasil e Única dos Trabalhadores; a União dos Estudantes; o 14º Núcleo do CPERS; o Comitê de Crise das Comunidades; a União das Associações Comunitárias; e as Associações de Moradores do Boa Saúde, Canudos, Jardim Liberato, Liberdade, Monte das Oliveiras, Rincão e Petrópolis, Vila Esmeralda e Vila Marisol.