Rua no bairro Primavera pode levar o nome do médico Gilvan Fontoura

por Luís Francisco Caselani última modificação 13/11/2019 15h53
13/11/2019 – Por iniciativa da vereadora Tita (PP), o Legislativo hamburguense aprovou por unanimidade durante a sessão desta quarta-feira, 13, o nome do médico Gilvan Roberto Fontoura para uma via pública no bairro Primavera, localizada entre as ruas São Nicolau e José Kaiser. Natural de General Câmara, no Vale do Rio Pardo, Fontoura é o fundador do Instituto de Nefrologia de Novo Hamburgo, conhecido como Clínica do Rim. O Projeto de Lei nº 69/2019 ainda passará por nova votação na próxima segunda-feira, 18, antes de ser encaminhado ao parecer do Executivo.
Rua no bairro Primavera pode levar o nome do médico Gilvan Fontoura

Foto: Jaime Freitas/CMNH

Nascido em 1947, Fontoura formou-se em Medicina pela UFRGS e especializou-se em nefrologia. O profissional fixou residência em Novo Hamburgo na década de 1980, onde criou seus três filhos – entre os quais o atual diretor-presidente da Fundação de Saúde Pública da cidade, Ráfaga Fontoura. Médico concursado, atuou em diferentes postos de saúde da região, com destaque no tratamento de doenças como hanseníase, raiva e tuberculose. Em 1988, abriu a Clínica do Rim, segunda unidade de tratamento hemodialítico no interior do Estado. Desde cedo ligado a movimentos políticos, foi presidente do Sindicato dos Médicos de Novo Hamburgo e do diretório municipal do Partido Progressista. À época de sua morte, ocorrida em 18 de julho de 2008, concorria a uma vaga de vereador no Legislativo hamburguense.

O vereador Gerson Peteffi (MDB), que também exerce a profissão de médico, subiu à tribuna para parabenizar a iniciativa da vereadora. “Gilvan Fontoura foi um grande homem, um profissional que tratava seus pacientes com cortesia e fidalguia. Um médico que fez de todos nós seus discípulos. Alguém que tinha trato fácil. Fontoura ainda seria um expoente da área médica e social se estivesse presente entre nós”, disse o parlamentar.

O também médico e atual presidente da Câmara, Raul Cassel (MDB), lembrou que o homenageado foi a primeira pessoa a trazer uma máquina de hemodiálise para Novo Hamburgo, facilitando o acesso ao serviço. “As pessoas deixaram de ter de ir a Porto Alegre ou outros municípios. Ele teve a vanguarda de implementar essa melhoria, uma pessoa que atuava na saúde pública e tinha muito gosto por isso. Além disso, era um perspicaz semeador e apimentador de discussões, pelo conhecimento que tinha”, recordou.

A vereadora Tita contou que a escolha do nome do médico tem muito a ver também com o serviço social que ele prestava. “Ele ia até a casa de pessoas que nem imaginávamos que conhecia. Infelizmente, ele partiu cedo. Mas era uma pessoa que ia diariamente atrás de conhecimento e que ajudava as pessoas em suas necessidades. Queremos que haja mais pessoas assim. A comunidade do bairro Primavera é muito grata a esse cidadão”, reforçou.

Leia na íntegra o PL nº 69/2019.

A aprovação em primeiro turno

Na Câmara de Novo Hamburgo, os projetos são sempre apreciados em plenário duas vezes. Um dos objetivos é tornar o processo (que se inicia com a leitura da proposta no Expediente, quando começa sua tramitação) ainda mais transparente. O resultado que vale de fato é o da segunda votação, geralmente realizada na sessão seguinte. Assim, um projeto pode ser aprovado em primeiro turno e rejeitado em segundo – ou vice-versa.

registrado em: