Rua no bairro Canudos deve levar o nome do educador Flávio Lucchese

por Luís Francisco Caselani última modificação 19/04/2021 19h10
19/04/2021 – A Câmara de Novo Hamburgo apreciou nesta segunda-feira, 19, projeto oriundo da legislatura anterior que dá o nome do educador Flávio Alberto Lucchese à rua L do loteamento Chácara Hamburguesa, no bairro Canudos. A proposta, assinada pelo ex-vereador Raul Cassel (MDB), foi aprovada por unanimidade. A confirmação da nova denominação deve vir na próxima segunda-feira, 26, com a votação em segundo turno. A via pública escolhida tem início na rua Maria Olinda Teles, seguindo em direção norte até encontrar a rua José Steffen.
Rua no bairro Canudos deve levar o nome do educador Flávio Lucchese

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

Natural de Ijuí, Lucchese teve sua vida dedicada à educação e à formação de profissionais no universo empresarial. Nascido em 23 de outubro de 1938, mudou-se ainda criança com sua família para Novo Hamburgo, onde completou sua educação básica e científica. Bacharel em História Natural pela antiga Faculdade Cristo Rei, de São Leopoldo, lecionou biologia na escola Mathias Schütz, em Ivoti. Em 1966, ingressou no corpo docente da Escola Técnica de Curtimento Senai, de Estância Velha. Cinco anos mais tarde, assumiu a coordenadoria da instituição e, em 1974, foi nomeado diretor.

Lucchese imprimiu um modelo ousado de gestão, abrindo caminho para a internacionalização da escola. Firmou parcerias e acordos de cooperação com organizações estrangeiras, tanto na área do ensino quanto no campo tecnológico. Com a Organização dos Estados Americanos (OEA), viabilizou a realização de estágios e especializações para professores e técnicos da instituição. Centros tecnológicos da Alemanha, Argentina, França, Itália e México receberiam brasileiros do Senai de Estância Velha – o próprio Lucchese finalizou seu mestrado em Biologia do Couro em La Plata, na província de Buenos Aires.

Em 1977, abriu as portas da escola para a estudante mexicana Blanca Valles, primeira mulher a ser admitida na instituição. Cinco anos mais tarde, deixou a direção do estabelecimento de ensino e mudou-se para Brasília, aceitando convites para atuar como assessor internacional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e para trabalhar junto ao então ministro da Indústria e Comércio, João Camilo Penna.

Entre 1983 e 1995, foi diretor-executivo da Associação das Indústrias de Curtumes do Rio Grande do Sul, entidade com sede em Novo Hamburgo. Ainda trabalharia por dez anos como consultor do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil até se desligar de suas funções profissionais em 2008 para tratamento de uma enfermidade neurológica degenerativa. Lucchese faleceu na cidade que adotou para si em junho de 2015, aos 76 anos.

Leia na íntegra o Projeto de Lei nº 56/2020.

A aprovação em primeiro turno

Na Câmara de Novo Hamburgo, os projetos são sempre apreciados em plenário duas vezes. Um dos objetivos é tornar o processo (que se inicia com a leitura da proposta no Expediente, quando começa sua tramitação) ainda mais transparente. O resultado que vale de fato é o da segunda votação, geralmente realizada na sessão seguinte. Assim, um projeto pode ser aprovado em primeiro turno e rejeitado em segundo – ou vice-versa.

registrado em: