Representantes da União das Escolas Privadas de Educação Infantil pedem apoio à Câmara

por Tatiane Souza última modificação 16/07/2020 12h58
16/07/2020 – As professoras Cíntia Sommer e Vanessa Reis, integrantes da União das Escolas Privadas de Educação Infantil de Novo Hamburgo, reuniram-se na tarde desta quarta-feira, 15, com o presidente da Casa Gerson Peteffi (MDB) e com o vereador Enio Brizola (PT). As educadoras entregaram um documento no qual expõem os problemas enfrentados pelas instituições no Município e pedem apoio dos parlamentares nas demandas pleiteadas junto ao Executivo. Elas reforçam a necessidade de a Administração Municipal apresentar um projeto de ajuda financeira para as escolas e outros segmentos que estão impedidos de realizar as suas funções, transparência nas informações quanto à retomada das atividades presenciais e retorno em relação ao plano de contingência protocolado na Prefeitura no mês de junho. Além disso, reforçam a necessidade de representação da rede privada nas reuniões e decisões relacionadas à educação municipal, principalmente em tempos de pandemia.
Representantes da União das Escolas Privadas de Educação Infantil pedem apoio à Câmara

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

O documento foi lido na sessão extraordinária da própria quarta-feira, por meio de requerimento verbal de Brizola. Elas expuseram que as escolas privadas de educação infantil estão há quatro meses impedidas de exercer as atividades presenciais. “Nossa preocupação também se apresenta, diante deste ponto crítico, aos nossos funcionários e professores que dependem da sua renda integral para o sustento de suas famílias”. No documento, elas reforçam que já estão atuando com ações efetivas e preventivas sobre a questão da inadimplência nas escolas diante do novo contexto econômico, verificando o comportamento do mercado e possibilitando desconto nas mensalidades, bem como alternativas para o enfrentamento das possíveis dificuldades das famílias. “Mesmo assim, estamos tendo cancelamentos de matrículas, enfatizando que atendemos também um público de não obrigatoriedade escolar”, apontaram. 

As educadoras afirmam que estão unidas e atuando para garantir o bem-estar de todos que circulam nas escolas quando a retomada das aulas presenciais for possível. "A cultura de atenção em todas as nossas instituições sempre foi nossa premissa, garantindo a qualidade e os cuidados sanitários de nossos serviços, pensando em toda a comunidade escolar, pais, crianças, professores e funcionários”, salientam no documento. 

As professoras já se reuniram com a prefeita Fátima Daudt no dia 19 de maio, e foram informadas por ela que não seria possível viabilizar uma ajuda econômica para as instituições em função de não poder privilegiar um determinado segmento. No entanto, as educadoras ponderam que ocorreu a aprovação do Projeto de Lei nº 30/2020, de autoria do Executivo, que autoriza a concessão de subsídio ao Serviço Convencional de Transporte Público Coletivo de Passageiros enquanto vigente o estado de calamidade pública no Município de Novo Hamburgo. “Cabe citar que diversos municípios de nossa região já se organizaram e estenderam subsídios para a manutenção de suas micro e pequenas empresas em tempos de pandemia”, esclareceram. 

Tanto Enio Brizola quanto Gerson Peteffi comprometeram-se com irrestrito apoio ao grupo no sentido de interceder pelas instituições junto ao Executivo Municipal.