Rede integrada municipal promoverá ações para aprimorar atendimento às mulheres vítimas de violência

por Maíra Kiefer última modificação 06/10/2017 19h33
06/10/2017 – Para promover a integração dos órgãos e entidades que orientam e auxiliam mulheres vítimas de violência em Novo Hamburgo, a presidente do Legislativo hamburguense, Patricia Beck (PPS), propôs nesta sexta-feira, dia 6, a criação da Rede Integrada Laço Lilás, reunindo o Legislativo, Brigada Militar, Polícia Civil, Patrulha Maria da Penha, Defensoria Pública, Juizado de Violência Doméstica, Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres, Ministério Público, Centro de Referência Viva Mulher e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim, e de um termo de elaboração técnica. A proposta foi debatida durante reunião realizada nesta manhã na sede da Câmara. O grupo tem se reunido para dar prosseguimento às discussões feitas durante o seminário Todos por Elas no Combate à Violência Contra a Mulher, promovido em março na Casa Legislativa.

Além da parlamentar, a reunião desta sexta-feira contou com a participação de Eliana Benkenstein, coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres; Elis Regina de Barros Evaldt, coordenadora e psicóloga do Centro de Referência Viva Mulher; Miriane Tagliari, defensora pública; Clóvis Nei da Silva, delegado representando a Delegacia da Mulher; Giuliano Schneider de Oliveira, representando a juíza de Direito do Juizado de Violência Doméstica de Novo Hamburgo, Andrea Hoch Cenne; Glacira Eli Santos da Silva, presidente do Comdim; Bianca Graziela Chies, policial civil da Patrulha Maria da Penha, da Delegacia da Mulher; Rachel Tomasi de Melo, diretora-geral da Câmara Municipal de Novo Hamburgo; e Mariana Statzner, assessora voluntária da vereadora Patricia Beck.

Por meio de um documento intitulado Pacto Municipal de Combate à Violência contra a Mulher, Patricia sugeriu a criação da Procuradoria Especial da Mulher no Legislativo municipal; revisão da ata do seminário promovido em marçodivulgação do Ligue 180 (serviço gratuito de disque-denúncia do Governo Federal); criação de fluxo de atendimento à mulher vítima de violência na Rede Laço Lilás; e promoção da autonomia econômica das envolvidas por meio do Sine, AME e Secretaria de Educação. Sobre essa mesma questão, a parlamentar relatou que apresentou emenda ao Projeto de Lei nº 103/2017, que instituiu a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), sugerindo a destinação de aluguel social para as vítimas de violência doméstica. A indicação de recurso será novamente requisitada durante a apreciação da Lei Orçamentária Anual.

Outro ponto sugerido pela vereadora é a criação de uma carteirinha na qual estejam reunidos todos os registros de atendimentos realizados pelo Viva Mulher, Delegacia e Defensoria, de forma a agilizar os atendimentos.

Após as discussões, foi oferecido um café da manhã aos convidados, pagos com recursos próprios da vereadora Patricia Beck. No próximo dia 20, está programada reunião técnica para a construção do fluxo da Rede Integrada Laço Lilás. 

Mais matérias sobre o tema:

Comissão promoverá ações contra violência de gênero

Seminário Todos por elas