Projeto do Rotary 25 de Julho aproxima escolas municipais da robótica

por Luís Francisco Caselani última modificação 16/09/2019 21h32
16/09/2019 – A convite de Raul Cassel (MDB), o presidente do Rotary 25 de Julho, Juelcir Savanin, e o diretor de projetos comunitários do clube, Jorge Silva, apresentaram aos vereadores nesta segunda-feira, 16, o projeto de robótica mantido pela instituição, em parceria com o Sicredi, junto a escolas municipais de Novo Hamburgo. A iniciativa consiste na doação de kits de peças estruturais e automação, com foco no uso da robótica educativa como elemento potencializador da aprendizagem. Até agora, seis escolas já foram contempladas. Os rotarianos pediram o apoio dos vereadores para garantir a ampliação do projeto para toda a rede municipal.
Projeto do Rotary 25 de Julho aproxima escolas municipais da robótica

Foto: Daniele Souza/CMNH

Essa iniciativa vem transformando a nossa comunidade. São escolas que não teriam essa possibilidade se não fossem os incansáveis membros do clube. O Rotary é uma instituição não governamental movida pro profissionais, que atuam onde os políticos não conseguem. O que viemos pedir é a oportunidade para que novas crianças também tenham esse acesso”, explicou Savanin. Jorge Silva contou que o projeto foi criado em 2015 a partir do pedido da direção da EMEF Caldas Júnior, do bairro Santo Afonso.

A demanda foi provocada pela escola. É um projeto simples, que compreende a aquisição de kits de robótica. Padronizamos para um projeto de longo prazo, mas que queremos viabilizar o mais rápido possível. Queremos disponibilizar o uso da robótica para todas as escolas municipais de Novo Hamburgo”, reforçou Silva. O diretor ainda destacou que estudantes da rede têm sido premiados através da robótica, como um grupo de alunos da EMEF Presidente Getúlio Vargas presentes no plenário.

O grande desafio para o Rotary é custear os kits para as outras 46 escolas. O investimento aproximado é de R$ 12 mil para cada instituição de ensino. “O projeto de robótica já é realidade. Ele privilegia a qualificação de alunos e professores e prepara os estudantes para a Indústria 4.0. Mas sozinhos não vamos conseguir adquirir todos os kits necessários”, ponderou Silva.

Os vereadores informaram que a Câmara não possui mecanismos para direcionar parte de seu orçamento para apoiar o projeto, mas indicaram caminhos possíveis. “Está muito claro que vagas de emprego desaparecerão num futuro próximo. A automação e robotização irá se instalar. Mas também se ganham as vagas para fazer esse sistema operar. Nós aqui não temos verba para apoiar essas iniciativas, mas votamos o direcionamento de recursos para esta e outras causas. Também há a possibilidade de apresentarmos emendas parlamentares ao orçamento do Município”, lembrou Cassel.

Patricia Beck (PP) sugeriu a elaboração de emenda conjunta para remanejar R$ 500 mil dentro da Lei Orçamentária Anual e disponibilizá-la ao projeto. “O orçamento da Câmara só pode ser aplicado para a manutenção de suas atividades. Temos essa grande limitação”, pontuou. Enio Brizola (PT) salientou que a proposta do Rotary vai ao encontro do que a Câmara planeja com a realização do segundo Seminário de Desenvolvimento Econômico, previsto para novembro. “O público que elegemos são alunos, empresários e gestores públicos. Acho de fundamental importância o incentivo e o apoio público na elaboração da política econômica. Podemos pensar também na articulação de emendas vindas de deputados”, citou.

Gerson Peteffi (MDB) endossou a campanha de Patricia para a formação de uma bancada única para direcionar recursos para o projeto. O presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Câmara, Felipe Kuhn Braun (PDT), ressaltou que o Legislativo pode se consolidar como um elo entre o clube e o Executivo. “Ficamos felizes de vocês virem aqui para prestar contas sobre um trabalho voluntário”, elogiou. Já Enfermeiro Vilmar (PDT) se colocou à disposição para buscar recursos junto ao deputado federal Afonso Motta.

Sergio Hanich (MDB) lamentou que os vereadores não possam indicar a aplicação de recursos em tamanho vulto como os congressistas. “É tanto dinheiro para vir, mas eles não conhecem as prioridades do nosso município por não terem a vivência que nós temos. Mas, se conseguirmos juntar os vereadores, logo contemplaremos os alunos da nossa cidade. Cristiano Coller (Rede) disse ter ficado impressionado com o projeto, cujas atividades já pôde acompanhar nas escolas Caldas Júnior e Nilo Peçanha. “O trabalho realizado já está fazendo frente até ao Pio XII, que é destaque na área da robótica. Agradeço por acreditarem e investirem nas nossas crianças”, concluiu o parlamentar.

Rotary Club

Criado em Chicago no início do século XX, o Rotary constituiu-se ao longo dos anos como uma organização internacional de clubes de serviço. Conhecidos como rotarianos, seus membros prestam apoio voluntário a suas comunidades, promovendo a ética nos negócios e desenvolvendo projetos em áreas como saúde e educação. Atualmente, a iniciativa está presente em 218 países e regiões no mundo, somando mais de 35 mil clubes e 1,2 milhão de associados. O Rotary 25 de Julho é um dos quatro clubes existentes em Novo Hamburgo.

registrado em: