Profissionais questionam alterações na estratégia de saúde da família

por Tatiane Souza última modificação 09/09/2019 22h14
09/09/2019 – As agentes de saúde Rosane Cavalheiro e Janice Souza, que atuam nos postos da Vila Palmeira, do Mundo Novo e do Petrópolis, participaram da sessão desta segunda-feira, 9, para questionar o futuro da profissão após as transformações que estão sendo realizadas na estratégia da saúde da família de Novo Hamburgo. O convite para a tribuna foi por Requerimento Verbal da vereadora Patricia Beck (PP).
Profissionais questionam alterações na estratégia de saúde da família

Foto: Daniele Souza/CMNH

Elas indagaram por que o Edital de Chamamento Público 06/2019 – chamamento Público para Organizações da Sociedade Civil – OSC – para gerenciamento e execução dos serviços em unidades de estratégia de saúde da família em Novo Hamburgo previu a contratação de agentes de saúde, mas a empresa vencedora – Grupo Solução em Gestão – não irá contratar esses profissionais. “O que vai acontecer com as pessoas que precisam do nosso trabalho”, questionou Janice. 

A profissional ressaltou que atua há 22 anos como agente de saúde e realiza trabalhos como acompanhamento de gestantes, hipertensos, diabéticos e acamados. “Não podemos parar de uma hora para outra”, disse. 

Rosane acrescentou que o agente de saúde é elo entre a comunidade e a unidade de saúde. “As pessoas nos cobram uma resposta”, falou, informando que a empresa vencedora, oriunda da cidade de Bagé, deve iniciar as atividades no próximo mês. 

Patricia Beck (PP) relatou preocupação com as famílias que precisam desses profissionais. E enumerou possíveis falhas no edital. “O Ministério da Saúde preconiza que sem agentes da saúde não existe estratégia de saúde da família”, afirmou, ressaltando que o fato é um retrocesso para Novo Hamburgo. 

A parlamentar foi autora de um requerimento, deferido pelo presidente Raul Cassel (MDB), convocando o gestor do contrato a participar da sessão plenária da próxima segunda-feira, 16, para prestar esclarecimentos sobre o assunto. 

Líder do governo, o vereador Sergio Hanich (MDB) buscou informações junto a Secretaria Municipal de Saúde. Segundo ele, há uma lei federal estabelecendo que os agentes de saúde precisam ser concursados. “A informação que me passaram é que será realizado um concurso simplificado pela Fundação de Saúde para a contratação dos profissionais”, disse. Serjão parabenizou o trabalho das profissionais e comprometeu-se saber mais sobre o assunto. 

Enio Brizola (PT) relatou ser um grande admirador do trabalho que os agentes de saúde realizam. “A comunidade precisa de vocês e do serviço público que desempenham”, frisou. 

Raul Cassel também enalteceu a importância do trabalho realizado por esses profissionais. “Vocês são os olhos dos enfermeiros e dos médicos quando não estamos presentes. De casa em casa, averiguando e promovendo a saúde das pessoas, e ganham pouco para isso”, falou. Cassel lamentou que mais uma vez o Município é alvo da lei do menor preço que escolhe uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) desconhecida, sem nenhuma ligação com a cidade.

registrado em: