Presidente da Câmara conhece sistema de energia solar instalado no parlamento de Campo Bom

por Jaime Freitas última modificação 15/02/2019 15h23
15/02/2018 – O presidente do Legislativo hamburguense, Raul Cassel (MDB), foi à Câmara Municipal de Campo Bom na tarde desta quinta-feira, 14 de fevereiro, para conhecer in loco o sistema de energia renovável implementada no prédio-sede do parlamento do município vizinho. Na oportunidade, foi recebido pelo congênere, o vereador Paulo Tigre, presidente da Câmara campo-bonense.
Presidente da Câmara conhece sistema de energia solar instalado no parlamento de Campo Bom

Crédito: Jaime Freitas/CMNH

Ao final do ano passado, a Câmara de Campo Bom inaugurou uma usina solar fotovoltaica. Com isso, se tornou o primeiro órgão legislativo do Brasil a gerar energia para atender toda demanda de sua operação. O objetivo da visita, segundo o vereador Raul Cassel, foi de buscar subsídios para estudar a viabilidade de adoção da iniciativa no parlamento de Novo Hamburgo. “A usina solar aqui instalada é um exemplo para as demais cidades da região. Cada município tem a sua realidade, mas é importante sempre avançar em pautas que priorizem o meio ambiente. As energias renováveis não são algo para o futuro, mas uma realidade presente, que requerem uma maior atenção do poder público”, sintetizou o chefe do Poder Legislativo de Novo Hamburgo.

Paulo Tigre informou que a usina pode gerar até 100 % da capacidade, mas que o sistema do prédio mantém a energia recebida da distribuidora por meio da rede externa. “O que é captado através da usina solar é ‘lançado’ na rede externa, e há um encontro de contas entre o que é gerado por nós e o que consumimos da concessionária”, explica.

Segundo as regras de geração distribuída de energia criadas pelas ANEEL em sua Resolução Normativa 482, de 2012, no chamado sistema de compensação de energia elétrica, o consumidor que instala um sistema de geração energia em sua casa ou empresa pode conectá-lo a rede da distribuidora local. Passa a fazer a troca do que produz durante o dia, que é injetado na rede, pela energia consumida durante a noite, por exemplo.

É importante destacar que o prédio do parlamento campo-bonense continua vinculado à rede da concessionária, dependendo do fornecimento externo. “Por não haver um sistema de armazenamento de energia elétrica, com o uso de baterias, por exemplo, quando há falta de energia externa, nosso prédio também fica sem luz. Esse é um inconveniente. Se adotássemos um sistema de reserva, os custos para implementar a usina duplicariam de valor, e o retorno do investimento demoraria muitos anos até ser compensado”, pondera Tigre.

Colegas do mesmo partido, o MDB, os presidentes das Câmaras de Novo Hamburgo e Campo Bom reforçaram a importância em aproximar as duas Casas legislativas com o objetivo de avançarem nas discussões de temas de interesse comum aos dois municípios vizinhos, como a saúde. Ambos médicos, destacaram a necessidade de buscar soluções conjuntas para a área, já que podem contribuir com a experiência que acumularam como profissionais da saúde pública local. Tigre foi médico socorrista da SAMU em Novo Hamburgo. Atualmente, é médico concursado em Campo Bom desde 2006, onde atua no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). Cassel desempenha atividades profissionais nos Hospitais Regina e Unimed, em Novo Hamburgo. Médico concursado no município desde a década de 1980, atua nos posto de saúde da Vila Kunz e Primavera.

Participaram do encontro o Diretor-Geral, Deiwid Amaral da Luz, e a Diretora Administrativa, Elisa Vieira, da Câmara de Novo Hamburgo; o Diretor-Geral, João Ari Ferreira de Carvalho, e o Assessor de Imprensa, Cássios Diogo Schaab, da Câmara de Campo Bom.

 

Detalhes da Usina de Geração de Energia Fotovoltaica da Câmara de Campo Bom

Usina de Geração de Energia Fotovoltaica da Câmara de Campo Bom

Na usina solar do Legislativo de Campo Bom foram instalados 112 módulos para a geração da energia fotovoltaica. O espaço utilizado para instalação é de 220 m² em uma área total do prédio de 624 m².

A capacidade instalada dos 112 módulos permitirá que sejam gerados 40kWp (watt de pico), porém de início serão gerados 37kW (watt de pico). Essa geração tornará o prédio do Legislativo será 100% sustentável e a economia anual deve superar os R$ 60 mil. Com o contrato com valor total de R$ 154.554,30 (Cento e cinquenta e quatro mil, quinhentos e cinquenta e quatro reais e trinta centavos). Todos os equipamentos instalados permitem a geração de energia solar pelo prazo mínimo de 25 anos.

Fonte: Câmara Municipal de Vereadores de Campo Bom

Crédito da Foto: Divulgação/Câmara Campo Bom

registrado em: