Parlamentares vão ao Piratini contra ameça de corte de quase R$ 21 milhões anuais para o Hospital Municipal

por Jaime Freitas última modificação 08/09/2021 14h01
02/09/2021 - Os vereadores da Câmara Municipal de Novo Hamburgo estiveram na manhã desta quinta-feira, 2, no Palácio Piratini, para entregar em mãos moções e requerimentos que pedem informações sobre os critérios adotados nos cálculos do Programa Assistir. No início do mês, o Governo do Estado lançou o programa com a promessa de uma distribuição mais justa e transparente de incentivos hospitalares, de maneira proporcional aos serviços entregues à população. Na prática, para Novo Hamburgo, isso representará um corte de 63,8% nos repasses recebidos pelo Hospital Municipal. A reunião ocorreu com o chefe de gabinete da Casa Civil, Jonatan Brönstrup, ex-prefeito de Teutônia. O secretário-chefe, Artur Lemos, não pôde atender os parlamentares.
Parlamentares vão ao Piratini contra ameça de corte de quase R$ 21 milhões anuais para o Hospital Municipal

Foto: Jaime Freitas/CMNH

Atualmente, o Hospital Municipal de Novo Hamburgo recebe quase R$ 32,9 milhões anuais em repasses do Estado. Com a implantação do programa Assistir, o valor deve ser encolhido para pouco mais de R$ 11,9 milhões, uma queda de quase R$ 21 milhões. Só entre Novo Hamburgo e Canoas serão cerca de R$ 150 milhões a menos. Do encontro, ficou acertada uma reunião com a Secretária Estadual da Saúde, Arita Bergmann, e a diretora da pasta responsável pelo programa.

Dos 14 parlamentares, participaram Raizer Ferreira, Ricardo Ica Ritter, Tita dos Santos e Vladi Lourenço (todos do PSDB), Gerson Peteffi e Serjão Hanich (ambos do MDB), Ito Luciano e Cristiano Coller (do PTB), Felipe Kuhn Braun (PP) e Enio Brizola (PT). O secretário da Saúde de Novo Hamburgo, Naasom Luciano (PSDB), participou da reunião. Fernando Lourenço e Darlan Oliveira (PDT), Lourdes Valim (Republicanos) e Gustavo Finck (PP) já tinham compromissos agendados e não puderam comparecer.