Oficina indica classificação das proposições dos vereadores mirins

por Daniele Silva última modificação 11/09/2019 11h53
11/09/2019 – Os vereadores mirins eleitos em suas comunidades escolares voltaram à Câmara nesta terça-feira, dia 10, para a segunda oficina destinada à elaboração de proposições parlamentares. Na atividade, realizada no Plenarinho Pedro Thön, eles receberam orientações sobre como classificar as demandas que serão apresentadas na sessão especial do projeto. Cada escola deverá protocolar duas matérias legislativas.
Oficina indica classificação das proposições dos vereadores mirins

Fotos: Daniele Souza/CMNH

As explicações foram dadas pela diretora da Escola do Legislativo, Maria Carolina Seitenfus Hagen, pelo assessor técnico pedagógico da Smed, Dionísio Hatzenberger, e pela assessora do Ensino Fundamental da Região Norte da Secretaria de Educação, Suellen Peres Abreu. O presidente da Comissão de Educação da Câmara, Felipe Kuhn Braun (PDT), também esteve presente. Eles analisaram individualmente cada proposta e as classificaram enquanto projetos de lei, de resolução e de sugestão, indicações, pedidos de providências, requerimentos ou moções. Maria Carolina explicou também que assuntos mais complexos e que demandam articulação entre diversos órgãos do poder público podem ser encaminhados às comissões permanentes ou especiais da Casa.

O oficial legislativo Artemio Friedrich, servidor da Câmara, considerou as propostas muito bem elaboradas. Ele sugeriu pontuar algumas questões de forma mais específica, visando ao enquadramento legal.

Dentre as sugestões apresentadas pelos estudantes, destacam-se melhorias no entorno das instituições de ensino, criação de áreas de lazer para as comunidades e a formação de grupos para lidar com questões emocionais e para o desenvolvimento de competências dos adolescentes. Tema que, inclusive, poderá se transformar em um projeto assinado por todos os jovens vereadores.

Dionísio lembrou que hoje a educação está baseada nas relações. “As escolas não são mais locais em que apenas repassamos as informações aos alunos. Por isso, a importância de se investir nas relações entre professores e jovens e, especialmente, no relacionamento entre os próprios estudantes.”

Após a oficina, as matérias serão formatadas conforme sua classificação. Tudo com o acompanhamento dos estudantes, professores e equipes pedagógicas. O próximo encontro está marcado para o dia 17 de outubro, quando ocorrerá a eleição da Mesa Diretora da terceira Legislatura Mirim. 

Projeto que se torna realidade

Há quase uma década, os moradores do bairro São Jorge pleiteavam a revitalização de uma praça na rua João Amando Schilling, em terreno próximo à EMEF Monteiro Lobato, no bairro São Jorge. A solicitação, encaminhada pela vereadora mirim Kassiane Bender, representante da escola na segunda edição do projeto, foi protocolada pelos parlamentares por meio do Pedido de Providências nº 5.625/2018. As melhorias incluem a colocação de brinquedos para as crianças, bancos e academia ao ar livre. A Monteiro Lobato participa pela segunda vez do Vereador Mirim.

A coordenadora pedagógica, Raquel Finatto, conta que a instituição tem registros fotográficos de um abraço à praça realizado quando a estudante Kassiane estava na pré-escola. Conforme a proposição, o espaço abandonado era utilizado para o consumo de drogas e transformou-se em um ponto propício para assaltos, fazendo com que os moradores do bairro tivessem medo de transitar por lá. “Ficamos muito felizes quando representantes da Prefeitura nos informaram que já foram adquiridos os equipamentos e que o local será entregue em breve à comunidade. Prova de que uma ideia trazida por uma jovem estudante se tornará realidade.”