Morador da rua Tupi faz apelo para pôr fim à perturbação sonora de empresa de logística durante a madrugada

por Maíra Kiefer última modificação 23/06/2021 23h25
23/06/2021 - Ruídos que iniciam às 2h da manhã e se estendem até as 13h30min têm tirado o sono e agravado problemas de saúde de moradores da rua Tupi, no trecho atrás da Carburgo. Um pedido por ajuda foi feito na sessão desta quarta, 23, por Claudinei Nunes de Almeida após buscar outras instâncias sem sucesso.
Morador da rua Tupi faz apelo para pôr fim à perturbação sonora de empresa de logística durante a madrugada

Foto: Lucas Mallmann/CMNH

Segundo Almeida, a empresa Easy Operações Logísticas Eirell, distribuidora de produtos adquiridos pela internet, começou a funcionar no local por volta de julho do ano passado.  E, por três meses, operou sem alvará. Ele informou que a constatação da irregularidade só se deu por causa das denúncias feitas pela vizinhança. A via que, até então era calma, além de problemas com barulho de carga e descarga, passou a ter grande movimentação de veículos.

A situação dos moradores já havia sido trazida a Plenário no começo do ano, quando o vereador Enio Brizola (PT) exibiu vídeo, no qual se via ainda de madrugada a movimentação de caminhão e o alerta sonoro das rés. Conforme Almeida, que teve problema neurológico agravado pela falta de sono, pior que o barulho dos veículos são as batidas ouvidas na descarga das mercadorias. 

Em virtude de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) ter sido infrutífera, pelo horário realizado, Almeida pediu auxílio da Câmara para que nova verificação ocorra por volta das 5h/6h, quando ocorre a movimentação no local. Ele informou que, às 4h, começam a estacionar carros de diferentes cidades para receber os produtos, muitos deles sobre as calçadas. Além dos ruídos das vozes, geram grande quantidade de lixo no trecho.

“Eu, em nome dos vizinhos, peço socorro. A empresa não tem uma organização logística, há carros estacionados longe do portão, chamados aos gritos pelo funcionário para dizer que a encomenda está pronta”, contou aos presentes, convidando os vereadores a irem ao local verificar o problema.

Ricardo Ritter - Ica (PSDB), líder do governo, se propôs a acompanhar a situação mesmo no horário da madrugada para auxiliar na fiscalização. “Vamos colocar eles dentro das regras. Queremos desenvolvimento com ordem”, disse.

O vereador Ito Luciano (PTB) sugeriu que a Comissão de Meio Ambiente (Comam) acompanhe a demanda no horário apontado pelo requerente. “Temos um órgão fiscalizar, e houve uma troca de secretário. Tu vem há um ano falando, temos que terminar com essa situação”, sinalizou. O presidente Raizer Ferreira (PSDB) sugeriu que no mesmo dia o secretário Ráfaga Fontoura acompanhe a diligência. 

Brizola disse que encaminhou ao gerente da Fiscalização Ambiental, Jalnei Souza, a situação e que essa solicitação resultou em ata apresentada pelo morador com o comparecimento de representante da empresa. Claudia Vanessa Miguel Arruda admitiu que os trabalhos se iniciam às 4h da manhã. "O que interessa é que eles não possam funcionar na madrugada. É uma empresa dispensada pela lei da licença ambiental, pelo tipo de atividade. Não é uma zona industrial. O impacto maior foi no Natal. Fui na madrugada e vi o sofrimento da comunidade", contou, dizendo que considera o envolvimento da comissão um encaminhamento adequado, visto que há resultados positivos quando a Casa atua pela institucionalidade. 

Tribuna Popular

Durante as sessões ordinárias, pessoas previamente inscritas também têm direito à fala, por meio do expediente da Tribuna Popular. As inscrições devem ser feitas junto à Secretaria da Casa, no terceiro andar, a partir do preenchimento de uma solicitação. As datas serão estabelecidas conforme disponibilidade de agenda.