Moção pede posicionamento da Prefeitura sobre estiagem em Novo Hamburgo

por Luís Francisco Caselani última modificação 06/05/2020 16h40
06/05/2020 – O presidente da Câmara de Novo Hamburgo, Gerson Peteffi (MDB), elaborou moção de apelo solicitando que a Prefeitura se manifeste sobre a necessidade de declaração de estado de calamidade pública devido à grave estiagem que assola a cidade há mais de cinco meses. No último dia 30, a Comusa registrou o menor nível do Rio dos Sinos desde 1998, atingindo 1,76 metro. A moção foi aprovada por unanimidade durante a sessão desta quarta-feira, 6.
Moção pede posicionamento da Prefeitura sobre estiagem em Novo Hamburgo

Foto: Daniele Souza/CMNH

Peteffi ressalta as repercussões negativas do baixo volume do Rio dos Sinos, especialmente no setor agropecuário. “Em Lomba Grande, os produtores rurais vivem situação dramática, com a perda das lavouras, açudes secando e a dificuldade cada vez maior para a irrigação das plantas e o fornecimento de água para as criações”, sintetiza o vereador, calculando os prejuízos para toda a cadeia produtiva rural do município.

Antes de sua fala, o presidente apresentou um vídeo gravado por um cidadão mostrando o atual estado do rio. “Logo mais, se não voltar a chover, Novo Hamburgo entrará em racionamento de água. Desde novembro não há uma chuva volumosa. Trago um apelo dos produtores rurais de Lomba Grande, alguns dos quais, mesmo com extensas áreas cultivadas, precisam irrigar suas plantações com regadores de plástico e baldes de água”, ilustrou Peteffi.

O parlamentar destacou ainda que o decreto de calamidade pública ou situação de emergência facilitaria a obtenção de recursos estaduais e federais para enfrentar a escassez de água. “Andar pelo campo é como pisar em palha. O gado está magro. A produção de leite está em 30% do que era há alguns meses. Se a economia da cidade já está em dificuldade, imagina a produção rural. Gostaria que fosse estudada a viabilidade de se pensar em um decreto. Precisamos que se olhe um pouco também para a questão da água. A nossa agricultura está morrendo”, lamentou o presidente da Câmara.

Raul Cassel (MDB) salientou que é necessário conscientizar os cidadãos sobre a importância da diminuição do consumo de água. “Seria terrível, neste momento de combate à Covid-19 em que precisamos higienizar tudo o que está à nossa volta, sofrermos com a falta de água. A situação é ainda mais crítica do que já vimos nos últimos anos”, ponderou. Relatora da Comissão de Finanças, Patricia Beck (PP) sugeriu o apoio dos grupos parlamentares para orientar os produtores rurais. “A Secretaria de Desenvolvimento Econômico não está trabalhando com atendimento presencial. Muitos produtores talvez não saibam a quem recorrer. Cabe às nossas comissões também dar um olhar mais forte a essa questão”, propôs.

Enio Brizola (PT) exemplificou que a Cooperativa da Agricultura Familiar de Lomba Grande (Cooperlomba) tem encontrado dificuldade no escoamento de sua produção. “Eles estão tendo que produzir cestas com alimentos orgânicos para comercialização via redes sociais. Diante do atual quadro ambiental, Novo Hamburgo já deveria ter ações de fiscalização com relação às queimadas na nossa cidade, mas também uma campanha de conscientização quanto à economia de água neste período”, finalizou o vereador.

Leia na íntegra a Moção nº 16/2020.

O que é uma moção?

A Câmara se manifesta sobre determinados assuntos – aplaudindo ou repudiando ações, por exemplo – por meio de moções. Esses documentos são apreciados em votação única e, caso sejam aprovados, cópias são enviadas às pessoas envolvidas. Por exemplo, uma moção louvando a apresentação de um projeto determinado no Senado pode ser enviada ao autor da proposição e ao presidente daquela casa legislativa.

registrado em: