Legislativo celebra cinquentenário da Associação Hamburguesa de Apicultura

por Jaime Freitas última modificação 11/07/2018 17h28
11/07/2018 – A Câmara de Novo Hamburgo dedicou a parte inicial da sessão desta quarta-feira, 11 de julho, para a realização de duas homenagens. Uma delas, proposta pelo presidente Felipe Kuhn Braun (PDT), destacou os 50 anos de fundação da Associação Hamburguesa de Apicultura, completados no dia 30 de junho.
Legislativo celebra cinquentenário da Associação Hamburguesa de Apicultura

Foto: Thanise Melo/CMNH

O mel foi a primeira substância adoçante da sociedade, usado há mais de cinco mil anos. Sabemos do papel do apicultor em aparar as abelhas nos momentos mais difíceis, como em situações de estresse natural, como o enfrentado no inverno. A produção do mel é um exemplo de equilíbrio entre as funções humanas e a preservação do meio ambiente. É uma arte nobre e cativante. E foi como muita luta e paixão que, no decorrer dos 50 anos, muitas mãos dedicaram-se ao crescimento da Associação Hamburguesa de Apicultura. Essas mesmas mãos  continuam se dedicando ao um trabalho tão importante para a nossa sociedade e região. Aqui, fazemos uma singela, mas importante comemoração”, declarou o autor da homenagem, o vereador Felipe Kuhn Braun.

Um produto essencial para a sociedade, o mel nada mais é do que saúde, que traz muitos benefícios ao corpo. E o desenvolvimento da apicultura, além do relevante papel econômico exercido pela atividade, não se resume apenas à produção de mel, mas também de muitos dos seus derivados, não menos importantes. Parabéns pelo trabalho de vocês, por manterem viva essa linda ocupação profissional. E uma homenagem de 50 anos não é qualquer coisa. Felicitações por essa importante marca”, disse o vereador Dr. Gerson Peteffi, que falou em nome da bancada do MDB.

Felipe Kuhn Braun entregou, após a fala dos vereadores, uma placa comemorativa ao presidente da associação, Anselmo Kuhn.

É importante estarmos aqui, comemorando com vocês essa linda data. Sabemos da importância das abelhas para humanidade, como a polinização de lavouras, por exemplo, que garante a alimentação de gerações. Lamentamos as dificuldades que este inseto vem enfrentado para sobreviver no meio ambiente. Toda a natureza perde, e nós é que sofreremos as consequências. O associativismo é a melhor forma para regular setores econômicos, como o agrícola. Tivemos muitos momentos difíceis, de altos e baixos, mas superamos tudo. Temos muitas atividades em nossa associação e queremos que toda a sociedade saiba o que fazemos. A atividade não é para qualquer um. Só pessoas persistentes conseguem se manter na profissão”, declarou Anselmo Kuhn.

A associação

Com sede no bairro Ideal, a Associação Hamburguesa de Apicultura teve início em um encontro entre criadores de abelhas e entusiastas realizado no ginásio do Colégio Marista Pio XII na manhã do dia 30 de junho de 1968. Após palestra ministrada pelo professor e escritor Hugo Muxfeldt, os presentes decidiram pela fundação de uma entidade apícola, imediatamente escolhendo seu nome e sua diretoria, presidida pelo industrialista Hugo Berlitz. Após uma peregrinação por diferentes sedes, a associação fixou suas atividades junto ao Núcleo Orquidófilo de Novo Hamburgo.