Gestor do Banco de Alimentos defende implantação do Restaurante Popular

por Jaime Freitas última modificação 21/12/2018 09h32
19/11/2018 – Atendendo a convite da vereadora Patricia Beck (PPS), o gestor do Banco de Alimentos da Região do Calçado, Neli Silveira, fez uso da tribuna durante a sessão desta segunda-feira, 19 de novembro, para argumentar em prol da criação do Restaurante Popular em Novo Hamburgo.
Gestor do Banco de Alimentos defende implantação do Restaurante Popular

Maíra Kiefer/CMNH

 “Esperamos há mais de quatro anos a implantação do restaurante popular. Não venho criticar a gestão passada ou a atual nem para levantar nenhum muro, meu principal objetivo é construir pontes. Peço o apoio de vocês no sentido de ajudar para que esse projeto se torne realidade. Acho imprescindível a participação do Executivo municipal na criação, mas em um primeiro momento, sabendo das dificuldades atuais do Município, o objetivo é fazer um consórcio de entidades privadas, entidades do terceiro setor, apoiada pelo Legislativo, por meio de emendas que os legisladores podem propor. Assim, conseguiremos dar o ‘pontapé’ inicial para a concretização dessa obra. Há muitos voluntários prontos a entrar em ação, basta unirmos forças”, disse Neli Silveira. Conforme o gestor do banco de Alimentos, a estimativa de custo de cada refeição é de cerca de R$ 6,50. 

Sergio Hanich (MDB) informou que os vereadores reuniram-se mais cedo no Plenarinho para tratar do assunto, e que Raul Cassel (MDB) poderá comprometer R$ 50 mil do valor de suas emendas. Serjão também explicou que cada parlamentar poderá também contribuir com valores de suas emendas. Patricia Beck confirmou que também destinará outros R$ 50 mil de suas emendas para a implantação do restaurante, e que endereçará ainda recursos a outras entidades. Ela alertou que isso poderá resultar em veto por parte do Executivo. Issur Koch (PP), Gabriel Chassot (Rede) e Enio Brizola (PT) também se mostraram sensíveis ao apelo.   

Havia previsão de a iniciativa ser implementada pela Prefeitura, de acordo com o Plano Plurianual 2018-2021. Para o quadriênio, estão programados mais de R$ 2,5 milhões em investimentos para o atendimento da população em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar.

registrado em: