Comissão recebe carta aberta de profissionais da cultura

por Daniele Silva última modificação 09/06/2020 16h14
09/06/2020 – Um grupo com mais de 60 trabalhadores da cultura redigiu uma carta destinada ao poder público de Novo Hamburgo com sugestões para auxiliar o setor no período da pandemia. Representando os profissionais da área, o diretor e produtor cultural Luis Fernando Rodembuch entregou o documento à Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Câmara (Coedu) na tarde desta segunda-feira, dia 8. As demandas, já encaminhadas também à Secretaria de Cultura do Município (Secult), deve ser tema de encontro entre os parlamentares e representantes da pasta nos próximos dias.
Comissão recebe carta aberta de profissionais da cultura

Foto: Kassiane Michel/CMNH

A carta, conforme Rodembuch, representa a voz de alguns dos artistas da cidade, que vêm enfrentando muitas dificuldades devido aos decretos de fechamento dos espaços culturais e escolas de dança. “Muitos lugares já estão fechando, pois não têm condições de arcar com aluguéis sem a renda de eventos e outras atividades que costumavam realizar. Na ParaNoia (espaço cultural que dirige), alguns pais permanecem pagando as mensalidades das aulas e cursos, mas nem todos podem contribuir neste momento em que também estão com suas rendas prejudicadas. E isso acontece com todos as escolas”, afirmou.

Dentre as solicitações está a implementação imediata de editais propostos pelo Conselho Municipal de Política Cultural, já publicados e encerrados no mês de maio. O produtor alertou, porém, que, devido à burocracia e exigências, esse tipo de política não atende a todos os fazedores de cultura e citou a cidade vizinha de Sapiranga como exemplo de ação destinada em apoio aos artistas locais.

Outra ideia é a contratação emergencial, em parceria com a Secretaria de Educação, para a elaboração de conteúdos audiovisuais destinados às escolas públicas com atividades à distância. Para a manutenção dos espaços, a sugestão é o pagamento de auxílio emergencial para o custeio de aluguéis e manutenção de empregos, por meio de contrapartidas empenhadas para o período pós-pandemia, como bolsas de estudo a estudantes carentes, atividades extracurriculares e apresentações em instituições do Município.

O presidente da Coedu, Felipe Kuhn Braun (PP), e a relatora, Tita (PSDB), receberam o documento e comprometeram-se a intermediar o pleito da categoria junto à Secult. O grupo de trabalho é formado ainda por Nor Boeno (PTB).

Leia o documento na íntegra.