Comissão e Movimento Roessler organizam audiência para debater assuntos ambientais

por Tatiane Souza última modificação 16/04/2019 16h56
16/04/2019 – Integrantes do Movimento Roessler e da Comissão de Meio Ambiente da Câmara planejam a realização de uma audiência pública no mês de junho. O objetivo é debater a proposta de manejo da arborização de Novo Hamburgo apresentada pela RGE ao Município e a revisão do Plano de Manejo do Parque Henrique Luiz Roessler, o Parcão. A decisão foi tomada na tarde desta segunda-feira, 15, durante reunião rotineira do grupo de trabalho do Legislativo.
Comissão e Movimento Roessler organizam audiência para debater assuntos ambientais

Foto: Kassiane Michel/CMNH

Saiba mais sobre o Movimento Roessler para Defesa Ambiental 

Os vereadores Enio Brizola (PT), presidente, Sergio Hanich (MDB), relator, e Cristiano Coller (Rede), secretário, devem se reunir novamente com as integrantes do movimento Luana da Rosa e Rejane Dreher para definir a data e os convidados da ação, que deve fazer parte da Semana Municipal do Meio Ambiente. 

Comissão recebe presidente do Sinplast 

Antes disso, os parlamentares da Comissão de Meio Ambiente também receberam o presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado (Sinplast), Gerson Haas. Ele defendeu o uso do plástico e destacou a importância que o material tem para a economia. “O plástico é produto nobre e bom, mas deve ser bem utilizado. O que precisamos não é proibir seu uso, mas promover a consciência ambiental e a separação correta dos resíduos. Atualmente, 110 famílias vivem da triagem, reciclagem e reaproveitamento desse material em Novo Hamburgo. Proibir não educa e não inibe o uso”, disse Haas ao se referir ao Projeto de Lei nº 17/2019, de autoria do vereador Enfermeiro Vilmar (PDT), que está tramitando na Câmara, e proíbe a distribuição e a venda de canudos flexíveis plásticos descartáveis em restaurantes, bares, lanchonetes, quiosques e similares, ou por ambulantes, no Município de Novo Hamburgo.

Segundo o presidente do Sinplast, um canudo desse material pesa cerca de 0,35 grama. Já o de papel tem massa quatro vezes maior e ainda utiliza resina e outros materiais. “As opções de vidro e metal despendem o uso de um bem muito precioso, que é a água, para fazer a sua higienização, sem falar no detergente utilizado”, argumentou. Para finalizar, ele citou algumas ações realizadas pelo Sinplast e Instituto Sustenplast com o objetivo de abrigar ações socioambientais e educativas em prol do plástico brasileiro como a tampinha legal, o canudinho legal e o copinho legal. O presidente da comissão, Enio Brizola, convidou Gerson Haas para fazer uma sustentação oral no dia em que o projeto de lei for votado no Legislativo hamburguense de maneira a fazer um contraponto aos argumentos apresentados pelo parlamentar autor da matéria.

Saiba mais sobre o projeto Canudinho Legal