Comissão de Segurança cobra ações de prevenção no entorno do Colégio Cenecista

por Luís Francisco Caselani última modificação 17/04/2019 19h36
17/04/2019 – Um grupo de funcionários e pais de alunos do Colégio Cenecista Felipe Tiago Gomes, do bairro Primavera, reuniu-se com a Comissão de Segurança Pública da Câmara (Coseg) no início da tarde desta quarta-feira, 17 de abril, para expor uma demanda que aflige a comunidade da região. Uma residência desocupada em terreno particular próximo à instituição de ensino tem servido de espaço para usuários de drogas há pelo menos dois meses. Eles apontam que, desde então, furtos e assaltos começaram a ser mais frequentes. Os vereadores se comprometeram a interceder junto ao Executivo para solicitar ações preventivas em diferentes áreas.
Comissão de Segurança cobra ações de prevenção no entorno do Colégio Cenecista

Fotos: Kassiane Michel/CMNH

A diretora do colégio, Camile Alves, contou que a casa já sediou o Abrigo João e Maria, administrado pela Associação Beneficente Evangélica da Floresta Imperial (Abefi), mas está atualmente abandonada. “Como a escola é monitorada por câmeras, percebemos as movimentações. É uma zona residencial muito tranquila, mas essa situação tem nos preocupado cada vez mais. São usuários de crack que estão habitando o espaço”, afirmou. O secretário da Coseg, Felipe Kuhn Braun (PDT), contou que a demanda chegou a seu gabinete em fevereiro. “A Prefeitura nos disse que é uma propriedade particular e, em razão de o dono viver fora do país, seria de difícil notificação. Mas o Executivo pode tomar alguma ação preventiva. Não precisa ser mais uma tragédia anunciada”, ressaltou Felipe.

Além do Cenecista, a residência também fica próxima à Escola Municipal de Ensino Fundamental Dr. Jacob Kroeff Neto, o que aumenta a preocupação com a segurança de ainda mais estudantes. “Mesmo que a Prefeitura não consiga notificar, é preciso tomar uma providência”, asseverou a relatora da comissão, Patricia Beck (PPS). O presidente do grupo parlamentar, Inspetor Luz (MDB), lembrou ações da Polícia Civil na região, mas lamentou a impunidade causada pelas leis vigentes e suas aplicações. “Muitas vezes, é enxugar gelo. A sociedade fica à mercê da bandidagem. Mas conversarei com o delegado para vermos qual ação podemos tomar”, prometeu Luz.

Rondas da Guarda Municipal

Convidado pela comissão, o secretário municipal de Segurança, Roberto Jungthon, ouviu os relatos sobre a situação da região e garantiu que entrará em contato com o comando da Guarda Municipal para um serviço intensivo de ronda durante os horários de entrada e saída de alunos. O secretário ainda reforçou a importância do registro de ocorrências. “Esse levantamento estatístico é essencial para o planejamento das ações das forças de segurança. O registro de ocorrência é uma atribuição dos cidadãos”, reiterou.

A Comissão de Segurança Pública entrará em contato com o Executivo para que o proprietário seja notificado e, não sendo possível, que a Prefeitura estude formas de impedir o acesso à residência. Os parlamentares também encaminharão ofícios pedindo a revisão da iluminação pública e solicitando poda de árvores no entorno, diminuindo pontos cegos. Ainda será feito contato com o policiamento comunitário para uma aproximação com a escola e será pleiteado, junto à Secretaria de Desenvolvimento Social, um trabalho de abordagem com os usuários para que eles sejam introduzidos na rede pública de atendimento.

O que são as comissões?

A Câmara conta com oito comissões permanentes, cada uma composta por três vereadores. Essas comissões analisam as proposições que tramitam pelo Legislativo. Também promovem estudos, pesquisas e investigações sobre temas de interesse público. A Lei Orgânica Municipal assegura aos representantes de entidades da sociedade civil o direito de participar das reuniões das comissões da Casa, podendo questionar seus integrantes. A Coseg se reúne às quartas-feiras, a partir das 13h, na sala Sandra Hack, no quarto andar do Palácio 5 de Abril.