Comissão busca informações sobre protocolos de retorno às aulas

por Daniele Silva última modificação 22/02/2021 13h29
18/02/2021 – No dia 1° de março, 24 mil estudantes deverão retornar às aulas em Novo Hamburgo. Para saber mais informações sobre o início do ano letivo e sobre os protocolos que serão adotados pelas escolas, a comissão de Educação da Câmara foi ao Centro Administrativo Leopoldo Petry, na tarde desta quarta-feira, 17, conversar com a secretária Maristela Guasselli. As aulas poderão ocorrer de forma presencial, híbrida ou remota, conforme a classificação do município no Modelo de Distanciamento Controlado do Estado.
Comissão busca informações sobre protocolos de retorno às aulas

Foto: Daniele Souza/CMNH

O grupo de trabalho é formado pelos vereadores Felipe Kuhn Braun (PP), Ricardo Ritter – Ica (PSDB) e Gustavo Finck (PP). Participaram também do encontro a diretora administrativa da Smed, Alessandra Machado, e a diretora de educação, Raquel Becker. Maristela apresentou os números da educação em Novo Hamburgo e falou sobre os avanços de sua gestão durante o primeiro mandato da prefeita Fatima Daudt. “Quando assumimos, em 2017, havia 1,8 mil crianças na lista de espera para educação infantil. Hoje, zeramos a fila”, explicou a secretária, citando a construção de três novas escolas e a readequação de turnos, conforme necessidade dos pais. Segundo Maristela, o município atende 5 mil alunos de 0 a três anos e mais 3 mil na pré-escola. Por suas especificidades de equipamentos e maior número de profissionais por crianças, as escolas de educação infantil (Emeis) são bem mais onerosas, chegando a um custo de R$ 1,6 mil por aluno/mês.

Os vereadores levaram uma série de questionamentos que têm recebido da comunidade escolar. Maristela destacou o esforço da rede ao longo de 2020 para atender os estudantes de forma remota, preservando a saúde de professores e das famílias. “Mesmo com todas as dificuldades, tivemos uma evasão de apenas 0,4%, são alunos que as escolas realmente não localizaram. Também fizemos reforços presenciais para o 9° ano e para algumas crianças em fase de alfabetização.” Conforme a secretária, após um ano, os professores precisam retornar às escolas, seguindo os protocolos sanitários. “Investimos em equipamentos de proteção individual e para as escolas. Também iremos obedecer ao número máximo de alunos por sala, mantendo distanciamento de 1,5 metro entre as classes.” Quanto à vacinação de professores, a gestora lamentou que eles não estejam contemplados nos grupos prioritários. “Essa decisão não é da nossa alçada, mas junto a um grupo de gestores municipais, enviamos carta ao governador pedindo celeridade na vacinação dos educadores.” Também ressaltou que os profissionais com comorbidades comprovadas não precisarão retornar às salas de aula e serão substituídos por professores em contratos emergenciais.

Sobre a perda de conteúdos, a diretora Raquel enfatizou que foram atendidos os pilares básicos de cada faixa etária e que os professores devem analisar o estágio de aprendizado de cada turma, buscando reforçar conhecimentos não adquiridos no ano passado. Por fim, a secretária apresentou as novas tecnologias disponibilizadas às instituições de ensino e agradeceu a parceria da Câmara ao indicar a devolução de parte do seu orçamento para melhoria na infraestrutura das escolas. “Não é um momento fácil, mas decisões precisam ser tomadas. E acredito que com o apoio da comunidade escolar e atendendo a todos os protocolos sanitários poderemos iniciar o ano letivo de forma segura”, finalizou.

 

Retorno às aulas

O ano letivo de 2021 será de 1º de março até 17 de dezembro. O retorno está previsto em formato híbrido, intercalando entre aulas presenciais e não presenciais. As salas de aula terão ocupação de até 50% da capacidade. O escalonamento de estudantes e os protocolos de prevenção à covid serão seguidos conforme Plano Municipal de Contingência definidos pelo Centro de Operações de Emergências Municipal Covid-19 (COEM Covid-19). Os espaços educacionais receberão totens e dispensadores de álcool em gel, tapetes sanitizantes, termômetros e produtos para a limpeza dos ambientes. Os professores terão equipamentos de proteção individual e cada aluno, acima dos três anos, deverá receber três máscaras. Não será permitida a entrada sem o uso do protetor respiratório.

De acordo com a Resolução n° 2/2020 do Conselho Nacional de Educação, cabe aos pais ou responsáveis legais a opção pela permanência do estudante em atividade não presencial, mediante compromisso das famílias pelo cumprimento das atividades e avaliações previstas no replanejamento curricular. Estudantes em situação de vulnerabilidade serão atendidos no contraturno pelo Programa Movimentos e Vivências na Educação Integral (MOVE) seguindo o modo de revezamento do ensino regular.

 

Novas tecnologias

Os integrantes da Coedu também conheceram algumas das novas tecnologias que serão utilizadas nas escolas municipais. Conforme a secretárias, foram adquiridas telas interativas, computadores, notebooks, kits de robótica, acesso à plataforma digital de leitura e aparatos para produção audiovisual.

Entre as novidades estão as smart boards, telas interativas de 75 polegadas e sensíveis ao toque. Os equipamentos têm computador integrado e oferecem uma série de recursos projetados para explorar possibilidades dinâmicas em sala de aula, auxiliando os professores na criação de ambiente interativo, participativo e colaborativo. O material será entregue às 52 Emefs e a outras oito Emeis.

Estudantes e professores também terão acesso a uma plataforma de leitura. A Árvore de Livros disponibiliza 30 mil obras, que podem ser lidas a partir de equipamentos como smartphones, tablets, notebooks e computadores. Além disso, a ferramenta oferece uma série de recursos para educadores como acompanhamento de leitura, sugestões de atividades e sequências didáticas. As assinaturas garantem acesso ilimitado ao acervo, que pode ser feito ainda sem o uso de internet.