Moradora propõe criação de novo espaço de atendimento a pessoas com síndrome de Down

por Luís Francisco Caselani última modificação 17/08/2018 17h04
31/07/2018 – Integrante do conselho deliberativo da Associação dos Familiares e Amigos do Down Vinte e Um (Afad-21), Gecy Klauck compareceu nesta segunda-feira, 30 de julho, à reunião da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa do Consumidor (Codir). Recebida pelo presidente Enio Brizola (PT), ela divulgou sua proposta de criação de um instituto voltado para o atendimento a pessoas com síndrome de Down e seus familiares, bem como para a capacitação de profissionais que atuam diretamente com essa faixa da população.
Moradora propõe criação de novo espaço de atendimento a pessoas com síndrome de Down

Fotos: Luís Francisco Caselani/CMNH

Gecy contou que a ideia tem sido amadurecida ao longo dos últimos anos, mas revelou que o projeto depende de apoio do poder público para ser implementado. Proprietária de um terreno no bairro Operário, ela estaria disposta a utilizar a área para a criação do espaço, contanto que obras de infraestrutura sejam realizadas no entorno – intervenções que incluiriam o prolongamento de uma via pública. “A proposta do terreno é construir um instituto que seja mais abrangente do que a Afad-21, preenchendo as lacunas de formação e criando um laboratório de tecnologia assistiva”, revelou.

Brizola questionou se a cidadã já havia entrado com um pedido de cedência de área pública junto à Prefeitura, oportunizando a construção da sede. A advogada Caira Buratti, que também participou da reunião, destacou que elas trabalham com a ideia de permuta de imóveis. “O principal problema do terreno é a dificuldade de acesso. Tomar todas as medidas de infraestrutura será bem mais custoso. Por isso havíamos pensado em alguma situação de permuta desse terreno por algum outro para construção da sede, com destino específico para isso”, sugeriu.

O presidente da Codir propôs um novo encontro na próxima segunda-feira, 6 de agosto, dessa vez junto ao terreno localizado no bairro Operário. A ideia é obter mais informações sobre a situação a fim de analisar a viabilidade de obras de infraestrutura ou mesmo mediar diálogo com o Executivo para a proposta de permuta ou cedência de espaço.

O que são as comissões?

A Câmara conta com oito comissões permanentes, cada uma composta por três vereadores. Essas comissões analisam as proposições que tramitam pelo Legislativo. Também promovem estudos, pesquisas e investigações sobre temas de interesse público. A Lei Orgânica Municipal assegura aos representantes de entidades da sociedade civil o direito de participar das reuniões das comissões da Casa, podendo questionar seus integrantes. A Codir se reúne às segundas-feiras, a partir das 15h30, na sala Sandra Hack, no quarto andar do Palácio 5 de Abril.