Ciclofaixa no bairro Lomba Grande deve levar o nome do jornalista Vinícius Bossle

por Jaime Freitas última modificação 13/05/2020 15h53
13/05/2020 – A ciclofaixa inaugurada junto à rua João Aloysio Allgayer, no bairro Lomba Grande, deve levar o nome do jornalista Vinícius Bossle. A proposta do vereador Inspetor Luz (MDB) foi aprovada por unanimidade em primeira votação na tarde desta quarta-feira, 13. O espaço destinado à circulação de bicicletas e outros veículos de propulsão humana se estende por um trecho de aproximadamente 2,5 quilômetros, entre a estrada Rotermund e a rua Professora Odete Correa Schuch. A matéria será novamente apreciada na próxima segunda-feira, 18.
Ciclofaixa no bairro Lomba Grande deve levar o nome do jornalista Vinícius Bossle

Foto: Jaime Freitas/CMNH/

Inspetor Luz justifica a homenagem em razão da importância e pioneirismo do comunicador para a comunidade hamburguense. Natural de São Francisco de Paula, Bossle trabalhou em veículos como Correio do Povo, Jornal do Brasil, Jornal NH e Rádio Guaíba. Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), também atuou como professor universitário, oficial de registro civil e escrivão da Provedoria do Estado. Bossle faleceu em agosto de 2016, aos 94 anos. “Pessoa de primordial importância para a comunidade e para o jornalismo da região, não mediu esforços para exercer a profissão com muito zelo e dedicação, sempre levando a informação de forma profícua para a população”, destaca Luz na justificativa do Projeto de Lei nº 74/2019

O parlamentar não participou da primeira votação, pois solicitou licença para o dia 13 de maio para tratar de assunto particular, conforme o Requerimento nº 452/2020Em seu lugar, voltou a assumir uma cadeira na Câmara de Novo Hamburgo o também emedebista Esio Muller, quinto suplente da sigla. Com 629 votos nas eleições de 2016, o comerciante foi o 47º candidato mais votado a uma vaga no Parlamento hamburguense. 

A aprovação em primeiro turno

Na Câmara de Novo Hamburgo, os projetos são sempre apreciados em plenário duas vezes. Um dos objetivos é tornar o processo (que se inicia com a leitura da proposta no Expediente, quando começa sua tramitação) ainda mais transparente. O resultado que vale de fato é o da segunda votação, geralmente realizada na sessão seguinte. Assim, um projeto pode ser aprovado em primeiro turno e rejeitado em segundo – ou vice-versa.

registrado em: