Câmara homenageia os dez anos do início da operação da coleta seletiva na cidade

por Jaime Freitas última modificação 18/10/2021 16h44
13/10/2021 – O serviço de coleta seletiva do município foi homenageado nesta quarta-feira, 13, pela passagem de sua primeira década de existência. Enio Brizola (PT), autor do Requerimento nº 1.464/2021, contou brevemente a história do início da política pública criada para resolver um conflito na relação entre empresários, moradores e catadores. Convidados pelo proponente, o secretário municipal de Meio Ambiente, Ráfaga Fontoura, e a diretora de Limpeza Urbana da Prefeitura, Cristiane Hermann, acompanharam a homenagem.
Câmara homenageia os dez anos do início da operação da coleta seletiva na cidade

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

Conforme Brizola, que falou em nome de sua bancada e da bancada do PTB, representada pelos vereadores Ito Luciano e Cristiano Coller, a coleta seletiva solidária preserva a integridade dos resíduos e melhora o índice de aproveitamento dos materiais. “Completamos dez anos dessa importante política pública que é a coleta seletiva. Por meio desse serviço, catadoras e catadores de nossa cidade, antes não vistos socialmente, ganharam visibilidade. O trabalho é realizado por catadores organizados em cooperativa, gerando postos de trabalho digno, além de atuarem como agentes ambientais.”

Hoje é um dia para comemorarmos a primeira década da coleta seletiva em nossa cidade. Para quem não sabe, o trabalho que as cooperativas fazem em Novo Hamburgo não é só bonito e digno, é um trabalho necessário e importante para a economia do município. É a partir dessa atividade que evitamos um custo maior para a máquina pública com a destinação do lixo para outra cidade. É um trabalho eficiente, econômico e sustentável. Digo sempre que o progresso que não é sustentável não é progresso. Sem essa coleta seletiva teríamos também um dano ao meio ambiente, pois com ela evita-se que materiais aproveitáveis sejam descartados na natureza, mesmo sendo em locais adequados. Com a seleção, os materiais retornam à cadeia produtiva, gerando renda para os envolvidos”, disse o secretário do Meio Ambiente, Ráfaga Fontoura.

Essa política pública, por meio do cooperativismo, traz, além do conhecimento e preparação, dignidade às mulheres e aos homens que trabalham na coleta seletiva. Uma atividade tão importante e necessária, que dá oportunidades a quem labora nela, gerando renda aos envolvidos, melhorando também a vida de seus familiares”, destacou Felipe Kunh Braun (PP), que falou também em nome do seu colega de bancada, o vereador Gustavo Finck, e da vereadora Lourdes Valim (Republicanos).

Sergio Hanich (MDB), parabenizou o colega Enio Brizola pela inciativa e aos trabalhadores e trabalhadoras da coleta seletiva. “Os catadores e catadoras fazem a diferença em nossa cidade e merecem muito essa homenagem”, disse o parlamentar.

Política pública boa é aquela que permanece, que transcende governos, não importando o partido ou bandeira, pois ela continuará. Parabéns a todos os envolvidos nessa justa homenagem”, falou o presidente da Câmara, o vereador Raizer Ferreira (PSDB).

Semilda Tita (PSDB) lembrou que, quando era Conselheira Tutelar, atendeu a uma catadora que estava presente no Plenário. “Parabenizo todos os homens e mulheres que trabalham de sol a sol na atividade de coleta seletiva, mas faço um destaque especial às catadoras, mulheres fortes. É lindo ver o trabalho de vocês, pois o executam com alegria, cuidando com amor da nossa cidade”, relatou a parlamentar.

Após as falas oficiais, o representante da cooperativa Coolabore, Alexandro Cardoso, falou sobre o lançamento de seu livro “Do Lixo a Bixo: a cultura dos estudos e o tripé de sustentação da vida”. Na obra, ele conta como a educação transformou sua vida, o fazendo ingressar na UFRGS, a universidade pública mais concorrida do Estado. “Essa obra conta o caminho para dizer que é possível, independente da idade, voltar aos estudos e ocupar uma vaga em uma universidade pública. Sou da época em que quem trabalhava com catação era o primeiro a ser apontado como criminoso, mas o tempo mudou esse entendimento da atividade, e a passagem dos anos e as transformações provocadas foram me moldando. Minha vida é rica em lutas e conquistas e dou valor a cada pequena vitória”, disse o escritor e catador.

O coral do Programa de Gestão Social de Resíduos Sólidos Catavida fez uma apresentação musical, e Brizola entregou um quadro comemorativo aos cooperados Fernanda Chaves, Josiane Machado, Alessandro Alves e Janete Silva - que iniciou na atividade da coleta seletiva e permanece até hoje. Eles salientaram a importância de toda a comunidade neste trabalho, separando o lixo.

Coleta Municipal de Resíduos

A Secretaria de Meio Ambiente, através da Diretoria de Limpeza Urbana, é responsável pela coleta dos resíduos sólidos urbanos do município de Novo Hamburgo e esses são divididos em três grupos: Resíduo Reciclável (Lixo Seco), Resíduo Orgânico e Rejeitos.

Os resíduos recicláveis são recolhidos através do caminhão da Coleta Seletiva pelas cooperativas de catadores Univale e Coolabore, e são enviados para galpões de triagem. Nos galpões de triagem os materiais são separados por tipo e composição e então são vendidos para empresas que fazem a reciclagem desses materiais. O valor recebido pela venda desses resíduos fica com as cooperativas e é repassado aos catadores.