Aprovada moção de repúdio à declaração do ministro Paulo Guedes contra os servidores públicos

por Jaime Freitas última modificação 17/02/2020 21h23
17/02/2020 – De autoria do vereador Enio Brizola (PT), a Moção que manifesta Repúdio à declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, contra os servidores(as) públicos foi aprovada por 11 votos a 2 na sessão desta segunda-feira, 17. Os votos contrários foram da vereadora Patricia Beck e Vladi Lourenço, ambos do Partido Progressista.
Aprovada moção de repúdio à declaração do ministro Paulo Guedes contra os servidores públicos

Foto: Tatiane Lopes/CMNH

Leia o texto na íntegra.

Na condição de representante eleito pelo voto livre dos cidadãos de Novo Hamburgo, venho a público manifestar repúdio à declaração do ministro durante evento realizado pela Escola Brasileira de Economia e Finanças, Paulo Guedes, na qual comparou funcionários(as) públicos a ‘parasitas’ ao anunciar o envio da reforma administrativa ao Congresso Nacional”, defende o parlamentar no texto da matéria.

Ainda segundo Enio Brizola, a intenção de Paulo Guedes é clara: fomentar as redes de ódio contra o serviço público, culpar o trabalhador(a) pelas mazelas do Estado, amplificar a realidade do custo e justificar sua terceirização a preço de banana para o capital internacional. O vereador endossa salientando que o objetivo maior do ministro é retirar a estabilidade do servidor (a). “Sem estabilidade, os funcionários(as) passam a ser alvo fácil para o assédio e a pressão de superiores em cargos comissionados. Passam a servir aos interesses do governante, não aos da população”, destaca.

Por fim, o petista reforça que a afirmação é uma “afronta a quem trabalha diariamente para entregar serviços de qualidade ao povo brasileiro. Um ataque direto a nós, e a todos os outros profissionais que abraçaram a nobre tarefa de servir ao seu país, estado ou município”, enfatizou.

Voto contrário à Moção, a vereadora Patricia Beck justificou-se. "Eu já havia dito ao colega Brizola que votaria contrária ao texto, justamente por discordar de alguns termos. Se as palavras do vereador ditas aqui na Tribuna estivessem refletidas da mesma forma dentro da moção eu teria votado 'sim'. É óbvio que não se deve usar nenhum tipo de termo como esse em relação aos funcionários públicos e, principalmente, por alguém que é técnico e com conhecimento como tem o nosso ministro Guedes. Ele foi realmente infeliz nessa fala, mas eu, depois de tê-lo escutado falar na Feevale quando esteve em Novo Hamburgo, continuo acreditando que ele é um dos melhores ministros da Economia que esse Brasil já teve", relatou a parlamentar. O vereador Vladi Lourenço teve o mesmo entendimento que a vereadora Patricia, ao justificar seu voto contrário.

Com a aprovação, cópia da Moção de Repúdio ao gabinete do ministro da Economia Paulo Guedes; ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; ao presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre; e ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

O que é uma Moção

A Câmara se manifesta sobre determinados assuntos – aplaudindo ou repudiando ações, por exemplo – por meio de moções. Esses documentos são apreciados em votação única e, caso sejam aprovados, cópias são enviadas às pessoas envolvidas. Por exemplo, uma moção louvando a apresentação de um projeto determinado no Senado pode ser enviada ao autor da proposição e ao presidente daquela casa legislativa.

registrado em: