Eleição na EMEF João Goulart encerra escolha dos vereadores mirins

por Luís Francisco Caselani última modificação 11/08/2017 17h42
11/08/2017 – Os 14 alunos que serão diplomados no dia 23 de agosto como os primeiros vereadores mirins de Novo Hamburgo já foram escolhidos. Cada uma das sete escolas municipais que aderiram ao projeto organizado pela Câmara, em parceria com a Secretaria de Educação, organizou seu processo eleitoral e definiu seus dois representantes, que ainda participarão de uma sessão no final de novembro, quando poderão apresentar suas matérias legislativas.

A última escola a eleger seus jovens parlamentares foi a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Presidente João Goulart. Ao todo, oito candidatos, quatro de cada turno, concorreram nesta sexta-feira, 11 de agosto, aos votos de estudantes de 5º, 6º e 7º anos, professores, funcionários e pais de alunos de séries iniciais. Três dias antes, os candidatos conversaram com a comunidade escolar em uma reunião da Associação de Pais e Mestres, apresentando suas ideias e propostas. Eles também passaram de sala em sala pedindo votos.

Adorei a participação dos alunos nos debates e na apresentação das propostas”, comentou a diretora da escola, Luciana Martins. Professora da escola há uma década, Luciana exaltou o engajamento de estudantes e pais e a solidificação do Projeto Vereador Mirim. “Trata-se de um projeto-piloto que foi muito bem acolhido pela comunidade escolar, que é extremamente participativa. O saldo de todo o processo é muito positivo. Acredito que todas as propostas apresentadas poderão ser levadas adiante, independentemente de quem for eleito”, destacou.

Serão eleitos os candidatos com o maior número de votos em cada turno. Como cada escola contará com um suplente, ocupará o posto aquele que tiver a maior votação geral, excetuados os dois eleitos. Integrante da comissão fiscalizadora do processo, Nayara Batista, 11 anos, conta com o trabalho dos vereadores mirins. “Esperamos que eles façam não só pela escola, mas por toda a comunidade”, pontuou. A também fiscal Bruna Nascimento, 13 anos, disse depositar sua confiança nos eleitos. “Primeiro de tudo é o compromisso com a palavra. O que esperamos é que eles cumpram com o que prometeram aos demais alunos”, disse.

A eleitora Larissa Thauane, aluna do 7º ano, destacou a importância do sufrágio. “Precisamos eleger uma pessoa boa para representar a nossa escola na Câmara. É muito importante para a sociedade e para a própria escola”, opinou. Pai de dois alunos da EMEF João Goulart, o também eleitor Adriano Diering destacou o envolvimento contínuo da comunidade com o ambiente escolar. “Sempre estamos ajudando o colégio quando necessário. Neste projeto, vimos que as crianças se interessaram pela demanda, por aprender sobre cidadania e democracia. Esperamos que eles cresçam e façam da sociedade um lugar melhor”, salientou.

Propostas

Ao longo da semana, os oito candidatos, todos alunos do 6º ano, espalharam cartazes pela escola com suas propostas. A aluna Estefani Nascimento, 12 anos, ressaltou o que aprendeu na palestra recebida no Plenário da Câmara. “Aprendemos que o vereador tem que estar sempre ajudando o povo. Quero ajudar pessoas que estão nos hospitais, já que estes estão muito cheios. Há muitas pessoas no corredor, então minha ideia é sugerir a construção de um novo hospital”, contou. A candidata Larissa Diel, 12, revelou que sua proposta é lutar pela ocupação de lugares públicos pela cidade. “É uma grande responsabilidade ajudar a lutar por coisas melhores”, comentou.

Samuel Oliveira, 12, passou a se interessar pelo trabalho parlamentar depois de conhecer a Câmara. “Precisamos de mais projetos sociais para as crianças permanecerem mais tempo nas escolas e não ficarem nas ruas”, enfatizou. Gabriel Klauck, 11, contou que foi convidado por uma professora a se candidatar, aprovou a ideia e prontamente aceitou. “Minha proposta é que todas as escolas tenham ensino fundamental completo, para que os alunos não precisem sair depois do 7º ano, porque construímos laços de amizade muito fortes”, prometeu o candidato.

Projeto Vereador Mirim

O Vereador Mirim foi instituído por meio do Decreto Legislativo nº 5/2017, proposto pela Mesa Diretora e aprovado por unanimidade pelos demais vereadores. Inicialmente, turmas das escolas envolvidas participaram de palestras na Câmara, conhecendo o Palácio Cinco de Abril e aprendendo sobre atribuições e deveres dos parlamentares. Em seguida, material pedagógico elaborado por uma comissão de apoio formada por servidores da Casa foi trabalhado em sala de aula, culminando na eleição dos vereadores mirins.

Os vereadores mirins eleitos serão diplomados em sessão no dia 23 de agosto. A partir disso, eles serão instruídos pelos professores por meio de um novo material pedagógico, dessa vez voltado para a elaboração de projetos, requerimentos, indicações e pedidos de providências, que serão apresentados em uma última sessão no final de novembro.